SKIPP is DEAD lança novo EP

SKIPP is DEAD lança novo EP

Super Mario Bros, Ziggy Stardust e o Amapá se unem no EP “Blast Off!”, trabalho de estreia de SKIPP is DEAD. O projeto solo de Skipp, amapaense radicado em São Paulo, conta com cinco faixas que contam a história de um pirata espacial refugiado de uma guerra intergaláctica. A sonoridade de SKIPP traz fortes influências do indie rock dos anos 2000, e também a linguagem chip tune. Sem esquecer suas raízes amapaenses, o músico acrescenta o batuque e o marabaixo. A expressão “Blast Off!”, que nomeia o EP, é uma referência ao momento de quando o foguete levanta voo rumo ao espaço. “Quem compôs e gravou o EP foi um pirata espacial dentro de sua nave, e eu tentei trazer o contexto dele tanto pras letras quanto para a identidade fonográfica da obra, com um quê de lo-fi pra simular uma transmissão de longa distância.”, explica o músico.Primeira música do trabalho, “Primal Instincts” fala sobre o quanto a sociedade obriga o indivíduo a distanciar-se dos instintos primitivos. A letra faz referência à faixa 3, Kessler Syndrome, e conta com influências musicais de Gorillaz, The Voidz e CSS. A canção seguinte é “Stars”, definida por Skipp como “um jingle torto de um entorpecente muito comum no espaço”. Nesta faixa, por meio de vocoders, até a personagem Chun-Li (Street Fighter) participa, junto do Daft Punk.Assista o clipe de “Primal Instincts”:

A música seguinte é “Kessler Syndrome”, que faz um paralelo entre um coração quebrado e a tendência que os detritos espaciais têm de acumular-se em volta da Terra, o que eventualmente vai impedir que objetos entrem ou saiam do planeta. “Essa faixa é construída em volta das fórmulas rítmicas do Marabaixo, com suas acentuações no bumbo e dualidade de baquetas no estéreo do chimbal. O baixo traz características da música latina e conversa com os timbres de synth que, como nas outras faixas, remetem ao chip tune”, revela Skipp.Chegando ao fim do EP, a canção “Alternate Start” fala da saudade do pirata espacial em relação às estrelas. Com referências ao livro que originou o filme “Blade Runner” (1982), no fim das contas, o personagem da música desenvolveu uma paranoia e acredita que é um Replicante. A faixa destaca-se pela presença maior de synths e autotune, corroborando com a ideia paranoica do pirata. Porém, o baixo orgânico ao fim da canção indica a aceitação da condição humana do personagem.A última música é “Venus in Flames”, que é uma bebida espacial que representa o ponto fraco do pirata, que trata o drink como um amor antigo. A faixa começa com um synth que lembra o soar de um alarme, representando o estado mental do personagem. Neste conceito, entra também a trilha sonora da ‘Super Estrela’, item presente no Super Mario Bros, que transforma o personagem em invencível. “Musicalmente foi emprestado o ritmo do Zouk Love, da fronteira Amapá-Guiana Francesa para representar as festanças espaciais que os dois viveram juntos.”O lançamento do EP “Blast Off!” marca o estabelecimento da identidade visual e sonora de Skipp, que trabalhou no disco em todas as suas fases. A ficha técnica conta com participação de Bruno Mont’Alverne (baixo), nas faixas “Primal Instincts” e “Stars”; e Collinz foi o responsável pela mixagem e masterização do material.Ouça o EP “Blast Off!”: https://tratore.ffm.to/skipp-is-dead.

Rádio Putzgrila

Rádio Putzgrila

A Putzgrila é um veículo de rock consolidado na internet, com mais de 14 anos de programação ao vivo, transmissões de festivais, notícias, lançamentos e cobertura de shows nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 16 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.