Especial de 14 anos da Putz EP4 | Du Rock

Especial de 14 anos da Putz EP4 | Du Rock

A Rádio Putzgrila completou 14 anos em setembro, e pra comemorar preparamos um final de semana cheio de entrevistas com músicos, comunicadores,  produtores e agitadores culturais.

A quarta entrevista foi com o Du Rock, Dudu Sandler, que contou que subiu em um placo pela primeira vez em 1992, com 12 anos. Hoje, quase completando 40 anos tem o Projeto Du rock desde 2017 e a Black Sabão. Em 2020 lançou na sua carreira solo 2 singles, “Vai mudar” e “Lutar” em parceria com o Pedro Costa, o terceiro single foi tocado pela primeira vez na live da Putz, se chama “Família e amigos primeiro”.

Confira a entrevista:

Que lição tiramos de 2020?

“Duas palavras: Reinvenção e adaptação. No campo pessoal/profissional perdi o emprego no indico da pandemia, 6 meses depois me vejo totalmente autônomo, fazendo trabalho pra outras empresas, estou musicando mais do que nunca, voltei a estudar, estou com meu filho de 10 meses que tenho e posso curtir. Resiliência, aguentar no tranco.
Eu tive Covid-19, foi pesado, encontrei um cara diferente depois disso, rolou um lance meio espiritual, faz a gente ressignificar, sair mais forte disso.” conta Du Rock.

O que tu estavas fazendo em 2006?

“Eu estava musicalmente com a Broderage, tinha voltado de São Paulo, onde tinha uma banda com o Lucas da família lima, a banda in vitro, de covers, que durou 2 anos. Estava divulgando a Broderage com “Aqui ou em qualquer lugar” e tocando som em bares, eu e meu violão. Foi ano bem musical.

E em 2034?

“Espero estar vivo lá, saudável, vou estar com quase 54 anos, meu filho com 14 para 15 anos, espero que esteja dominando, baixo, guitarra, bateria ou piano, ele vai ter que escolher. Quero que ele toque baixo, sempre tive dificuldade de encontrar baixista, vou comprar um baixo para ele, e ver o que acontece. “

O que é o rock pra ti?

“O rock é minha vida. Eu assumi Du Rock em 2007 quando um aluno da produção fonografia da Unisinos disse: cara tu é o Du rock! Tinha levado um hip hop pra trabalhar e o cara disse que minha essência era rock. Moldou meu caráter, minha essência, alegrias e tristezas, devo ao rock.

Qual tua principal lembrança da Putz?

“Tenho várias lembranças, porque a Putz faz parte da minha vida. Tinha um programa da Ana Beise e do Camilo, “De manhã” (o programa se chamava Acorde) era ali na Lima e Silva, a primeira edição foi com a Broderage, a Putz jogou energia no meu caminho”.

O que faltou nessa pandemia?

“Empatia”

Qual seu ultimo contato com o rock?

“Agora contigo”

O estilo que mais rola na tua playlist?

“Rock n Roll Motherfucker”

Se tivesse que apresentar o rock pra alguém qual musica mostraria?

“Nirvana – Smells like teen spirit”

Qual rock consideram mais estranho?

“The Claypool Lennon Delirium”

Se tivesse que ir pra marte qual seria trilha sonora?

“Os 2 últimos álbuns do Silverchair”

Quando menciona Keith Richards o que vem na tua cabeça?

“Cigarro”

Qual a mulher mais foda do Rock?

“Atualmente Emmily Barreto do Far From Alaska”

Uma musica que não pode faltar em um playlist Rock?

“Tell me baby Red Hot Chilli Peppers”

Confira a entrevista na íntegra, feita por Tchaina Bass no dia 19 de Setembro de 2020 a partir 42:08:

Rádio Putzgrila

Rádio Putzgrila

A Putzgrila é um veículo de rock consolidado na internet, com mais de 14 anos de programação ao vivo, transmissões de festivais, notícias, lançamentos e cobertura de shows nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.