Especial de 14 anos da Putz EP11 | Maurício Pinto da Vulva Quântica

Especial de 14 anos da Putz EP11 | Maurício Pinto da Vulva Quântica

A Rádio Putzgrila completou 14 anos em setembro, e pra comemorar preparamos um final de semana cheio de entrevistas com músicos, comunicadores, produtores e agitadores culturais.

A décima primeira entrevista foi com o Maurício Pinto, guitarrista do primeiro disco da banda Vulva Quântica.

Confira a entrevista:

Qual a lição se tira de 2020?

“A principal lição é resiliência e resistência, seja em relação a politica, a todas essas barbaridades que estão acontecendo, a barbárie humana e a doença terrível que estão afetando o mundo. Parece que o povo perdeu a tolerância com o outro. Precisamos ser fortes e ter esperança. A música serviu como uma válvula de escape, está sendo bem significativo”.

O que estavas fazendo em 2006?

“Estava tocando, no auge de fazer som naquele lance de garagem. No fundo da casa da minha mãe a gente se reunia e fazia um som. 2006 foi o ano que conheci minha esposa, foi um ano bem marcante”.

E o que imaginas fazer 2034?

“Se possível gostaria de ter a oportunidade de gravar um novo álbum, ter mais tempo pra tocar e estar com saúde, claro”.

O Que é o Rock pra ti?

“Primeira coisa, é passar uma mensagem para as pessoas, uma maneira nua e crua para passar ideias para as pessoas, o rock tem esse principio de traduzir teus ideais para a música, e fazer com que as pessoas entendam que a música é transformadora”.

Qual tua principal lembrança da Putz?

“Sempre deu espaço para as bandas locais, para a cena independente, isso é um diferencial, ter um espaço alternativo, um espaço de verdade que valoriza os músicas locais”.

Que não faltou na pandemia?

“Amor”.

Qual foi o último contato com o Rock?

“Essa semana (19 de setembro) fui ouvir a banda de abertura do show do Metallica, o Greta Van Fleet, é impressionante”.

Qual o estilo que mais rola na tua playlist?

“Heavy Metal”.

Se tivesse que apresentar o rock pra alguém, qual seria a música?

“Rock and Roll do Led Zeppelin”.

Como rock tu considera mais estranho?

“Echoes do Pink Floyd, é demais, mas é muito diferente”.

Se tivesse que ir a marte, qual seria a trilha sonora?

“Run to the Hills do Iron Maiden”

Quando menciona Keith Richards, o que vem na cabeça?

Lembro do show cheio de balões, em que entra um magrão e o Keith Richards vai correndo atrás do cara.

Qual seria a melhor notícia pro rock hoje?

“A volta dos eventos”.

Qual a música que não pode faltar na tua playlist?

“Angra com Time”

Confira a entrevista na íntegra, feita por Tchaina Bass no dia 19 de Setembro de 2020 a partir 34:50 minutos./

Rádio Putzgrila

Rádio Putzgrila

A Putzgrila é um veículo de rock consolidado na internet, com mais de 14 anos de programação ao vivo, transmissões de festivais, notícias, lançamentos e cobertura de shows nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.