Creepy Metal Show-Arquivos do medo#33-Longas de Ficção (#Bônus) Conto Eugênia Maria Ferreira Dutra

Creepy Metal Show-Arquivos do medo#33-Longas de Ficção (#Bônus) Conto Eugênia Maria Ferreira Dutra

Creepy Metal Show

É apresentado por Sérgio Pires, com a proposta de mesclar heavy metal, contos de terror, literatura fantástica e curiosidades do mundo do rock n’ Roll.


Mama (2013)

Lucas (Nikolaj Coster-Waldau) e Annabel (Jessica Chastain) adotam as duas sobrinhas, Victoria (Megan Charpentier) e Lilly (Isabelle Nellisse), que misteriosamente Sobrevivem por cinco anos sozinhas em uma floresta. Eles tentam dar uma vida tranquila para as meninas, mas percebem que algo está errado. Logo eles descobrirão como elas sobreviveram na mata e terão de lidar com uma terrível com uma terrível entidade maligna.

O Herdeiro do Diabo (2014)

Jack (Zach Gilford) e Samantha (Allison Miller) acabaram de se casar e se depararam com uma gravidez não planejada. O pai começa a registrar tudo e percebe que sua esposa está com um comportamento estranho. O que eles não sabem é que as causas para essa mudança comportamental tem origem demonica.

#Bônus Conto Eugênia:

Conto escrito por: Maria Ferreira Dutra instagram @maria_dutra

Campos dos Goytacazes, município do Rio de Janeiro. 

Elizabeth Petkovic, uma menina de apenas 14 anos, deixou a população do vilarejo onde morava aterrorizada. Segundo relatos, depois de sua morte, as pessoas a ouviam chamar pelos seus nomes e alguns inclusive reportaram aparições.

Todos começaram a acreditar que Beth, como também era conhecida, teria sido uma bruxa.

Sete dias após a sua morte, seu corpo foi exumado, e para a surpresa de todos os presentes, havia uma estaca cravada em seu estômago. As pessoas ficaram sem entender porque esse era um artifício usado para matar vampiros e ali naquela cidade ninguém nunca havia ouvido falar em ataques de vampiros. E pelo que se sabe, Beth havia morrido de raiva. Seria Beth uma vampira? O povo começou a se questionar.

A dúvida passou a ser uma certeza quando a defunta abriu os olhos, sentou-se e soltou uma gargalhada, apavorando a todos. Vagarosamente Beth saiu do túmulo e pôs todos para correr dizendo que estava com sede de sangue. 

A partir desse dia suas aparições se tornaram mais frequentes e violentas, além de se alimentar do sangue de suas vítimas, Beth as enterrava vivas, de cabeça para baixo, com o corpo de fora. Em seguida, cravava suas enormes unhas em seus peitos e os abria arrancando seus corações e comendo-os.

Para por um fim nas ações da vampira, os moradores do vilarejo planejaram uma emboscada. Colocaram um boneco sentado em frente ao cemitério como isca e o lambuzaram com sangue humano. 

Ao anoitecer, Beth desperta do seu sono e sente o cheiro forte de sangue. Ela vai em direção ao seu alimento e se aproximou de sua próxima vítima. Beth cheirou, cheirou, parecia desconfiada, olhava de um lado para o outro como se sentisse observada. Mas a sua fome era grande e quando se sentiu segura, tirou o cachecol do pescoço da sua presa e estava prestes a atacar quando foi surpreendida pelos moradores que estavam a espreita aguardando um momento de distração da vampira.

Sem piedade e chance de reação, os moradores armados com estacas afiadas perfuraram todo o corpo da vampira, para que não houvesse chance de sobrevivência. Por fim, um rapaz, que havia perdido o pai assassinado pela vampira, tomado pelo ódio pegou um facão e a decapitou. O povo então a esquartejou e queimaram as partes do seu corpo em quatro fogueiras, pois tinham medo de colocá-las numa única fogueira e seu corpo se reconstituir novamente.

Enquanto as pessoas observavam partes do corpo da vampira ardendo nas chamas, em uma das fogueiras, a cabeça da vampira de repente saiu rolando em direção às pessoas, parou e abriu os olhos. Em seguida, soltou uma risada medonha, de congelar a espinha. Todos se afastaram com medo, mas um senhorzinho, de uns setenta anos, pegou o primeiro pedaço de pau que encontrou pela frente e o cravou nos olhos da vampira. Após a cabeça estar devidamente empalada, a colocou de volta ao fogo.

Ninguém quis arredar o pé, todos ficaram esperando a fogueira se apagar, queriam ter certeza de que era o fim definitivo da vampira Beth. E quando a última labareda se apagou, gritos de vitória foram ouvidos por todos os lados.  

Na manhã seguinte, quando o serviçal do cemitério foi limpar o que havia sobrado da fogueira, para sua surpresa, não havia vestígio de nada, nenhum sinal de cinza, apenas uma frase escrita no chão: Eugênia, eu habito em você.

A partir desse dia, todas as Eugênias passaram a ser prosseguidas e quando capturadas eram terrivelmente assassinadas. Mas ninguém nunca soube qual delas a vampira havia possuído, e na verdade, a Eugênia vampira ainda estava para nascer.

Durante o ataque à vampira na porta do cemitério, havia uma mulher grávida entre a multidão, chamada Soraia. Soraia também estava movida pelo medo e pela raiva e assim como os demais moradores apunhalou a vampira com toda fúria. Só não esperava o que viria a acontecer, o sangue de Beth esguichou em seus olhos. Durante muito tempo ela ficou preocupada em se transformar em vampira também, o que a levou a se mudar para uma outra cidade, bem distante.

Soraia teve a sua filha na nova cidade, e tudo transcorreu bem e a transformação que ela temia nunca ocorreu. Mais tarde, sua filha se casou e veio a engravidar. Em homenagem a sua tia, que fora morta pelas autoridades da cidade de Campos dos Goytacazes, por motivo que sua mãe nunca lhe contou, colocou o mesmo nome em sua filha: Eugênia.

 Escrito por 

Maria Ferreira Dutra

Creepy Metal Show

É apresentado por Sérgio Pires, com a proposta de mesclar heavy metal, contos de terror, literatura fantástica e curiosidades do mundo do rock n’ Roll.

O Programa conta com a colaboração de diversos escritores e seus contos de terror são lidos durante o programa, além da colaboração de outros Putzgrilicos nos em quadros como Arquivos do medo, e também tem de dicas das series e filmes do gênero.

Sextas feiras às 20h 

E-mail: creepymetalshow@gmail.com 

https://www.instagram.com/creepymetalshow/

https://www.facebook.com/creepymetalshow

Tchaina Bass

Tchaina Bass

Atua como baixista das bandas: Capa Preta Rock, Exclusão Social e Ligante Anfetamínico. Fundou o Selo Sub_Discos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *