27 anos da entrada de Kurt Cobain ao Clube dos 27

27 anos da entrada de Kurt Cobain ao Clube dos 27

Já existia toda uma crendice sobre o tal “Clube dos 27”: grandes rockstars que morreram aos 27 anos de idade. A história do “clube dos 27” começou com os artistas que morreram entre 67 e 71, tais como Brian Jones, Jimi Hendrix, Janis Joplin, e Jim Morrison. Mas foi com a entrada de Kurt Cobain que a lenda se popularizou. Pensemos que a internet estava nascendo bem no início dos anos 90, nessa safra “grungeira”, que foi, em termos de exposição midiática, capitaneada por Kurt. Hoje faz exatos 27 anos que Kurt Cobain, aos 27 anos, partiu desse planeta para orbes, espero eu, mais agradáveis. A maldição dos 27, que está mais para boato cultural já desmentido pela ciência e estatística, pode nos levar a pensar sobre estereótipos da mídia em relação às idades no meio musical.  A questão que me sói pertinente de salientar é que, penso eu aqui nos meus quase 40 giros solares, impõe-se aos músicos uma certa “data limite” para obter sucesso no mercado musical.

Será que deveríamos internalizar esse tipo de pensamento de cordeiro da indústria?

Sinceramente…

O roqueiro deveria se compreender como artista que é e ligar o foda-se pra esse tipo de coisa.

Por que a literatura não padece de data limite nenhuma??? Pelo contrário!! Os escritores chegam em seu auge quanto mais se aproximam dos 40 ou 50 anos.

Hey, Roqueiros! Vocês são ARTISTAS antes de mais nada! Por mais coroas que sejam. Não deixem de produzir o que aquela força imperiosa vos dita do âmago de vossa existência, que alguns chamam de inspiração. Deixem que as melodias saiam!

Música tem uma relação etimológica com a inspiração do cantor com as musas. Da mesma forma que formou a palavra museu (o lugar das obras inspiradas pelas musas). Quebremos esse paradigma também, afinal, não é porque a Amy Winehouse morreu aos 27 que as grandes mulheres do rock necessitam entrar nesse rebanho coordenado por grandes lobos da indústria musical. Vocês são mais que musas. São o sopro de esperança de lindas melodias cantadas por vós mesmas. Eis nós aqui a ouvi-las!!!

Que as estatísticas vãs permaneçam no campo das frivolidades competitivas como futebol e seus semelhantes.

Aqui o papo é outro. E tem gente afim de ouvir o que a galera que produz AGORA tem a dizer.

Come!

Juann Acosta

Juann Acosta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 19 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.