Virada Sustentável Porto Alegre 2018 terá noventa atrações culturais gratuitas

Oficinas, trocas de livros, espetáculos de circo, teatro, dança e música, mostras de cinema e saraus promovem o fortalecimento da cultura, da educação e da sustentabilidade.

A terceira edição do evento de mobilização e educação para a sustentabilidade será realizada entre os dias 06 e 08 de abril, em diversos locais da capital gaúcha. Todas as atividades são gratuitas

Seminários | oficinas espetáculos musicais | mostras de cinema arte urbana | feiras de inovação | gastronomia | rodas de conversa | espetáculos teatrais e circenses | atividades de lazer e esportes | exposições de artes visuais | ações de sustentabilidade e recolhimento de resíduos | atividades inclusivas e com acessibilidade

3ª edição da Virada Sustentável será realizada de 06 a 08 de abril de 2018, em Porto Alegre/RS. O tema principal desta edição é a educação e seus desafios na agenda da sustentabilidade. A partir do mote central, a Virada 2018 aborda e desenvolve outros temas como a redução das desigualdades sociais, as cidades sustentáveis, o consumo responsávelágua potável e saneamentopaz, justiça e instituições eficazes, e colaboratividade.

O festival reúne cerca de 200 atrações e atividades que serão realizadas simultaneamente em diferentes locais e em cinco Ecopontos principais da Capital Gaúcha: a Casa de Cultura Mario Quintana, a Associação Cultural Vila Flores, o Parque da Redenção, a Unisinos – Campus Porto Alegre e o SESC Protásio Alves. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. A programação completa pode ser consultada no site http://www.viradasustentavel.org.br/poa.

As realizações da Virada Sustentável em todo o Brasil são inspiradas nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela ONU. Esses objetivos representam hoje a melhor tradução do que é a sustentabilidade, trazendo o conceito de forma clara para a sociedade e revelando sua natureza transversal nas mais diversas áreas do conhecimento humano. Cada tema da Virada Porto Alegre 2018 está relacionado com um ou mais ODSs e foram escolhidos colaborativamente com o Conselho Consultivo do festival, composto por representantes de diversos setores da cidade de Porto Alegre. Todas as atividades da Virada perpassam, de uma ou mais formas, esses Objetivos (veja mais abaixo a lista completa dos ODSs escolhidos pela Virada 2018).

Nesta edição, a Virada Sustentável Porto Alegre criou 14 roteiros – as Trilhas -, que agrupam as atividades por interesses específicos: AcessibilidadeAções descentralizadasBem estar e esporteCinema, literatura e artes visuaisCirco, teatro e dança, Consumo responsávelEcogastronomiaEducaçãoEmpreendedorismo sustentávelMulheres de ViradaMúsicaNossas águasViradinha Kids e Vozes negras. Cada trilha está ligada a um ou mais ODSs e dão a dimensão da amplitude do evento. Como a sustentabilidade é um tema transversal, algumas atividades compõem mais de uma Trilha.

Nessa edição, a Virada terá três Trilhas Culturais, que estão baseadas no ODS 11Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. São cerca de 90 atrações e atividades, como oficinas, trocas de livros, espetáculos de circo, teatro, dança e música, mostras de cinema e saraus que, de alguma forma, promovem o fortalecimento da cultura, da educação e da sustentabilidade (veja abaixo os destaques de cada trilha cultural).

Neste ano a Virada faz uma grande parceria com a Serenata Iluminada, que acontece na Redenção, no sábado (07 de abril). Seis bandas musicais locais, selecionadas pelo projeto Porto Alegre Musical, se apresentam na Serenata Iluminada especial Virada SustentávelJá o projeto Música Para Todos traz para a Virada dois espetáculos, que acontecem no domingo (08 de abril), na Praça Júlio Mesquita (em frente ao Gasômetro): a Orquestra Jovem de Porto Alegre e A Sbornia Kontr’Atracka.

A Virada Sustentável Porto Alegre 2018 é apresentada pela Braskem, com Patrocínio Master da Liberty Seguros. Patrocínio: Lojas  RennerThyssenkruppBooking.com e Sulgás. Patrocínio Educacional: Unisinos. Apoio Institucional: Sistema Fecomercio RSSebrae RS, PNUD, Prefeitura de Porto Alegre e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer. Apoio: Fundação GaiaGrupo Zaffari e ACNUR (Agência da ONU para Refugiados). Apoio de mídia: RBS TVBandNews e Metro Jornal Porto Alegre.

Financiamento: Pró-Cultura RS – LIC / Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS / Governo do Estado do Rio Grande do Sul e Ministério da Cultura / Governo Federal.

 

Trilhas Culturais

Trilha Cinema, Literatura e Artes Visuais https://www.viradasustentavel.org.br/poa/virada-sustentavel-porto-alegre-2018/tag/cinema-literatura-e-artes-visuais.html

Atividades em destaque:

Projeto Livremente – troca de livros, na Redenção – O objetivo é construir espaços culturais de leitura com a possibilidade de um programa de empréstimo e troca de livros sem a burocracia convencional de uma biblioteca, de forma que contribua para a formação e desenvolvimento dos jovens inseridos no mercado de trabalho. Acesse o link:https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/livremente.html?id=7521

Cine Semente – A mostra Infantil de Cinema e Sustentabilidade chega a sua segunda edição em 2018 mantendo-se fiel ao seu propósito: sensibilizar as crianças ao tema da sustentabilidade semeando um olhar pró-ativo e responsável instigados pelos filmes. Serão exibidos programas de curtas-metragens que inserem os pequenos neste universo, estimulando uma consciência sobre meio ambiente, ecologia, cidadania e diversidade cultural, direitos humanos. As sessões acontecem em todos os dias da Virada Sustentável, na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/cine-semente-sessao-1.html?id=7247

Mostra Audiovisual Vila Flores de Sustentabilidade – Projeção de filmes sobre sustentabilidade. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/mostra-audiovisual-vila-flores-de-sustentabilidade-.html?id=7250

Recital Caio do Céu – Uma sensível intervenção músico-teatral que transpõe o universo de Caio Fernando Abreu para o palco a partir de crônicas, trechos de cartas, contos, poemas e depoimentos, tudo isso embalado por músicas autorais executadas ao vivo, em total conexão. Com a atriz Débora Finocchiaro e Fernando Sessé, o evento acontece na Redenção. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/recital-caio-do-ceu.html?id=7438

Bambu Cicloteca – A Bambu Cicloteca é uma biblioteca móvel, conduzida por uma bicicleta feita de bambu que funciona como plataforma de trocas, ponto de leitura, oficinas e apresentações artísticas. Estará estacionada na Redenção.

Oficina Grafando! Por Uma Porto Alegre Mais Sustentável! – Um grupo de cartunistas de Porto Alegre, organizados na Grafar, realizam uma oficina na abertura da exposição Grafando! A oficina é sobre técnicas do desenho de imprensa, do cartum e do humor. Participam cartunistas consagrados como Santiago, Edgar Vasques, Schröeder, Eugênio, entre outros. A Grafar é a associação dos cartunistas de Porto Alegre, criadora e organizadora do Salão de Desenho de Imprensa. A oficina e a exposição acontecem no Vila Flores. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/oficina-grafando-por-uma-porto-alegre-sustentavel.html?id=7136

Os filmes como ferramenta de aprendizado: um olhar de pais, professores e realizadores – O seminário tem o objetivo de promover uma reflexão acerca da alfabetização audiovisual. Uma conversa com pais, educadores e realizadores que contarão suas experiências sobre o uso do audiovisual como meio de educação e aprendizagem para as crianças. Acontece na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/seminario-os-filmes-como-ferramenta-de-aprendizado-um-olhar-de-pais-professores-e-realizadores.html?id=7233

O Rio Na Casa – A exposição retrata em desenhos e fotografias o resultado de viagens realizadas pelos artistas visuais Leandro Selister e Clau Paranhos no rio Guaíba, no barco Cisne Branco e no Catamarã (que liga Porto Alegre à cidade de Guaíba). A mostra acontece na Casa de Cultura Mário Quintana e conta com equipamentos de descrição das imagens para os deficientes visuais, e tradutor de LIBRAS para os deficientes auditivos, além de audioguias para recepcionar e guiar os visitantes. Acesse o link:https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/expo-artes-visuais-dos-ods-o-rio-na-casa.html?id=7173

Sensibilização do Olhar – A oficina fotográfica Sensibilização do Olhar, utiliza câmeras feitas de lata tendo como filme fotográfico chapas de raio x. Serão dois encontros em formato percurso, um no centro de Porto Alegre tendo como ponto de partida a Casa de Cultura Mário Quintana e o Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, no Bairro Cristal. A atividade é ministrada pelo coletivo Imagens Faladas, que tem origem no trabalho de dois fotógrafos, Eduardo Seidl e Leandro Anton. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/sensibilizacao-do-olhar-zvj1pv.html?id=7167

 

Circo, Teatro e Dança https://www.viradasustentavel.org.br/poa/virada-sustentavel-porto-alegre-2018/tag/circo-teatro-e-danca.html

Atividades em destaque:

Manchas Urbanas – A Eduardo Severino Cia de Dança apresenta cinco trabalhos solo, realizados por cinco coreógrafos/bailarinos e um músico. As apresentações acontecem na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/manchas-urbanas.html?id=7590

Pé de Vela – No espetáculo, Isandria e Renata apresentam as peripécias de duas viajantes de bicicleta que carregam na bagagem malabares, sacolas recicladas, vasos de plantas e muito bom humor para enfrentar as intempéries das estradas. A Cia PALMA realiza o projeto, que se apresenta na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/pe-de-vela.html?id=7604

Bom Pra Cachorro – A montagem do espetáculo de bonecos foi inspirada nos esquetes cômicos apresentados nos circos-teatro que circulavam nas cidades do interior. a montagem tem manipulação de bonecos feita por Diego Kurtz e Mário de Ballentti e leva o público de volta ao tempo em que o teatro era a única diversão nas cidades. O espetáculo é da Cia Caixa do Elefante e acontece no Vila Flores. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/espetaculo-bom-pra-cachorro.html?id=7382

Arca de Noé – Um clássico infantil de Vinicius de Moraes em uma montagem do premiado diretor Zé Adão Barbosa. Na história, uma trupe de artistas circenses cantam o que aconteceu com os bichos depois que as águas do grande dilúvio baixaram e a arca de Noé desceu à terra. A apresentação acontece na CCMQ. Acesse o link:https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/a-arca-de-n-oe.html?id=7498

Livrério: um espetáculo de palavras – Odair Fonseca em sua forma lírica e cômica vai em busca de uma chuva de palavras para conseguir contar suas histórias. Número de malabares com aros, bolas, claves e diabolô, acrobacias, traca-traca e contação de histórias integram este espetáculo sutil e poético, que acontece na CCMQ. Acesse o link:https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/livrerio-um-espetaculo-de-palavras.html?id=7598

Luzes e Sombras: espetáculo híbrido com Orquestra Villa Lobos e Cia Petzhold de dança – O festival promove um espetáculo multiartístico com sombras e projeções nas paredes internas do edifício do Centro Cultural Vila Flores. Conta com a participação dos bailarinos da Cia Petzhold de Dança (Tony Pezthold) e da Orquestra Villa Lobos, sob regência da maestrina Cecília Cecília Rheingantz Silveira. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/concerto-da-orquestra-villa-lobos.html?id=7620

Hiato Vivência | Oficina de Dança Contemporânea – Na oficina, a bailarina Paula Finn se propõe a compartilhar o processo de criação corporal do espetáculo “Hiato”, a partir das qualidades de movimento utilizadas na pesquisa. Partindo dos estados propostos pelos elementos vitais da natureza (terra, ar, fogo e água).  O evento acontece na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/hiato-vivencia-oficina-de-danca-contemporanea.html?id=7110

KRAFT | Performance imagética – performance que se comunica por vias sensoriais, nela não existe texto falado, a criação se propõem a uma narrativa particular. Trabalha o som, movimento, a partir da relação do ator com os objetos e o público. Acontece no Vila Flores. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/kraft-performance-imagetica.html?id=7612

Biodanza – A dança da Transformação não é aula de dança. É um sistema de desenvolvimento humano que utiliza vivências integrativas como instrumentos de resgate de nossa humanidade. Utiliza a música, o canto e o movimento expressivo que o encontro em grupo proporciona. O evento acontece na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/biodanza.html?id=7503

Coletivo Caixa de Pandora de Teatro Lambe-Lambe – grupo de artistas independentes que exploram a linguagem peculiar e instigante do teatro em miniatura, em especial a do teatro lambe-lambe. Acontece na CCMQ. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/coletivo-caixa-de-pandora-de-teatro-lambe-lambe.html?id=7595

 

Trilha Musical https://www.viradasustentavel.org.br/poa/virada-sustentavel-porto-alegre-2018/tag/musica.html

Atividades em destaque:

Na Casa de Cultura Mário Quintana (dias 07 e 08/04):

Bailinho Farabute –  o Bailinho da Farabute vem para ocupar com música o parque e te convida a deixar fluir o movimento. Com o cancioneiro de cumbias, rumbas, candombes, afro-sambas e reggaeton, a diversidade nos convida a viajar pela diversidade cultural da América Latina. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/bailinho-da-farabute.html?id=7592

Òséètúrá Africa’njazz – O grupo é dedicado em atuar artística e culturalmente na promoção e divulgação das artes fundamentadas na matriz africana de tradição Yorùbá. É a soma ritmos africanos e a sonoridade e fazer jazzístico mostrando a riqueza e beleza que marca a identidade do povo africano. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/oseetura-africanjazz.html?id=7316

Cartolas – Show com influências de rock and roll, a banda surgiu em 2003, na cidade de Canoas. Ganhou um “Prêmio Açorianos” em 2007 de melhor disco pop, com o disco Original de Fábrica e indicações de melhor instrumentista (Christiano Todt) e vocalista (Luciano Preza). Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/cartolas.html?id=7493

Batukatu – Música mulher – Uma intervenção artística (cênico-musical) urbana, inédita e interativa, que mescla tecnologia e música corporal para compor um mosaico sonoro com fragmentos de canções e poemas escritos exclusivamente por mulheres, executado com sons essencialmente orgânicos-corporais (voz falada, cantada, percussão corporal e vocal) e com participação de transeuntes e do público expectador. Dedicado exclusivamente a performance de música corporal, o Grupo Artístico BatuKatu nasceu em janeiro de 2015. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/musica-mulher-mosaico-sonoro-corporal.html?id=7465

Alabê Ôni – O grupo percussivo, de raiz africana no sangue, na cultura e na espiritualidade, reuniu-se para agregar as manifestações dos tambores que tocam historicamente no Estado do Rio Grande do Sul. Alabê Ôni na língua Iorubá, é uma expressão que significa Nobre Tamboreiro ou Grande Mestre dos Tambores. Uma homenagem dos músicos, Richard Serraria, Pingo Borel, Mimmo Ferreira e Tuti Rodrigues à cultura negra regional. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/vivencia-de-tambores-e-show-com-alabeoni.html?id=7494

Marmota Jazz – Fundada em 2011, a Marmota é uma banda em constante metamorfose, adequando seu trabalho aos mais diversos ambientes, executando clássicos do jazz e da música brasileira. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/marmota.html?id=7321

No Vila Flores (dias 07 e 08 de abril):

Artes integradas | Ciranda de Bonecos Gigantes, Banda Ecos e Coral dos Índios Guaranis da Aldeia Pindó Mirim – O projeto possibilita aliar arte, cultura e inclusão social. A banda Ecos se encontra com o Coral dos Índios Guaranis e com a Ciranda de Bonecos Gigantes da Caixa do Elefante. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/show-da-banda-ekos.html?id=7614

Banda TEM –  A banda Trabalhos Espaciais Manuais desenvolveu sua sonoridade e conquistou seu público através do formato Baile-Show, onde estilos como o samba, o funk e o rock’n’roll sao misturados com pitadas de jazz. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/tem-trabalhos-espaciais-manuais.html?id=7379

Neste ano a Virada faz uma grande parceria com a Serenata Iluminada, que acontece na Redenção, dia 7. Seis bandas musicais locais, selecionadas pelo projeto Porto Alegre Musical, se apresentam na Serenata Iluminada especial Virada Sustentável:

Le Batilli – Leandro “Le Batilli” possui diversas referências musicais. Envolvido com música desde os 13 anos, lançou em 2017 seu primeiro disco, Retalhos, com 13 composições autorais. Como cadeirante, Le Batilli tem o propósito de incentivar a acessibilidade e mostrar que, as pessoas com deficiência, também produzem cultura com qualidade. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/le-batilli.html?id=7510

Pássaro Vadio/Caosmos – O show traz a pungência e a visceralidade do cancioneiro popular unido a uma estética singular e contemporânea. Arranjos que fundem ritmos brasileiros com folk psicodélico e dream pop, além de uma poética pessoal e repleta de imagens. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/caosmos.html?id=7565

Valéria/Sexo Frágil? – A cantora faz um show musical com músicas autorais que transitam, de alguma forma, sobre o universo feminino, falando não só da desigualdade de gênero, como também sobre preconceito, identidade de gênero e diversidade. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/sexo-fragil.html?id=7570

Mais Tambor Menos Motor/Bataclã FC – Banda porto alegrense que em 2018 comemora 20 anos de estrada. O grupo de rock, rap, samba, peso e poesia apresenta canções novas e mastigações de textos políticos além de temas clássicos como A balada certaVezemquandoSubidinha da Barão e Menino Pandeiro. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/mais-tambor-menos-motor.html?id=7569

Ian Ramil – o ganhador do Grammy Latino 2016 de melhor disco de rock em língua portuguesa, com “Derivacivilização”. O show conta com arranjos que fundem ritmos brasileiros com folk psicodélico e dream pop, além de uma poética pessoal e repleta de imagens. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/ian-ramil-.html?id=7566

El Increible Baile Calavera/La Digna Rabia – Espetáculo de música influenciado pela estética e mística do Dia de Los Muertos mexicano, mesclando diversos gêneros de música latino-americana com pegada de tradição roqueira. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/el-increible-baile-calavera.html?id=7567

Turucutá  – Com seu repertório que flutua do samba ao rock, do ijexá ao funk, do makulelê ao afoxé, a Turucutá é eclética e livre de preconceitos musicais. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/turucuta.html?id=7563

Bloco da Laje – O bloco se vale do conceito da antropofagia para constituir sua linguagem, resultando em um grupo cênico/musical/carnavalizado, ou um bloco teatralizado, autoral, inspirado na cultura popular na composição de seus jogos e canções. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/bloco-da-laje.html?id=7561

No domingo, na Redenção:

As Três Marias – O grupo percorre uma caminhada de valorização e empoderamento das mulheres na música, no toque dos tambores e no protagonismo das brincadeiras e tradições populares. O repertório passeia por tradições como capoeira angola, jongo, forró de rabeca, bumbameu boi, samba, afoxé e samba de coco. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/tres-marias.html?id=7562

50 Tons de Pretas – A banda é formada por um trio de mulheres negras, apaixonadas pela cultura afro brasileira que com graça e leveza levam representatividade num balanço que encanta a todos por onde passam. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/50-tons-de-pretas.html?id=7571

Os The Darma Lóvers – A banda é inspirada em filosofias budistas e busca, através do seu show, instigar a reflexão do público para com temas atuas, assim como espalhar alegria. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/os-the-darma-lovers.html?id=7568

Nas ruas do Centro Histórico:

Oly Jr –  Propõe um estilo que faz a fuzão do blues, da milonga e da capoeira nas estéticas contemporâneas, usando a viola de 10 e 12 cordas, o slide, a gaita de boca, uma mala de bumbo, e um pandeiro no pé para compor e interpretar canções de cunho social e existencial. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/oly-jr.html?id=7507

Márcio Fulber Bando/Nos Trilhos do Dixieland – Espetáculo musical com composições de Márcio Fulber com sonoridade do Jazz New Orleans e o Gypsy Jazz, usa instrumentos clássicos do Dixieland, como washboard e nipe de sopros, e do Gypsy, como acordeon e violão. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/nos-trilhos-do-dixieland.html?id=7584

Pedrinho Figueiredo e Samuca do Acordeon – apresentam o show Sobre Rodas de Choro e Chimarrão. O espetáculo faz a conexão entre a “roda de chimarrão” e a “roda de choro”, enaltecendo a participação dos músicos gaúchos no movimento nacional do chorinho. Acesse o link: https://www.viradasustentavel.org.br/poa/atracao/sobre-rodas-de-choro-e-chimarrao.html?id=7591

O projeto Música Para Todos marca o último dia da Virada, no domingo, dia 08 de abril, com o concerto da Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul e o espetáculo Sbornia Kontra’Atracka (Hique Gomez e Simone Rasslam). Na Praça Júlio Mesquita (em frente à Usina do Gasômetro).

 

3ª Virada Sustentável Porto Alegre 2018

De 06 a 08 de abril de 2018

Seminários | oficinas espetáculos musicais | mostras de cinema arte urbana | feiras de inovação | ecogastronomia | rodas de conversa | espetáculos teatrais e circenses | atividades de lazer e esportes | exposições de artes visuais | ações de sustentabilidade e recolhimento de resíduos | atividades inclusivas e com acessibilidade

 

Programação completa: https://www.viradasustentavel.org.br/poa

Ecopontos:

Parque da Redenção | Parque Farroupilha – Av. João Pessoa, s/n – Cidade Baixa

Casa de Cultura Mario Quintana | Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico

Associação Cultural Vila Flores | Rua São Carlos, 759 – Floresta

SESC Protásio Alves Av. Protásio Alves, 6220 – Alto Petrópolis

Unisinos – Campus Porto Alegre | Av. Dr. Nilo Peçanha, 1640 – Boa Vista

Informações: viradasustentavelpoa@gmail.com

Site: http://www.viradasustentavel.org.br/poa

Facebook: www.facebook.com/viradasustentavelpoa

Instagram: @viradasustentavelpoa

Conheça os temas de 2018

ODS 1 – ERRADICAÇÃO DA POBREZA – Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares

ODS 4 – EDUCAÇÃO DE QUALIDADE – Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos. Palavras-chave: educação básica, educação para protagonismo, autoconhecimento, formação de cidadão ativos e responsáveis, educação para desenvolvimento sustentável, educação superior, cursos de extensão, cursos/escolas alternativas.

ODS 6 – ÁGUA POTÁVEL E SANEAMENTO – Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos. Palavras-chave: arroios, rios, delta do Jacuí, esgoto, nascentes e orla do Guaíba.

ODS 10 – REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES – Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles. Palavras-chave: cidadãos invisíveis, desigualdade econômica, violência, falta de diálogo.

ODS 11 – CIDADES E COMUNIDADES SUSTENTÁVEIS – Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Palavras-chave: Ciclovias, parques, árvores.

ODS 12 – CONSUMO E PRODUÇÃO RESPONSÁVEIS – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. Palavras-chave: Empreendedores, feiras, brechós, orgânicos, etc.

ODS 14 – VIDA NA ÁGUA – Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. Palavras-chave: arroios, rios, delta do Jacuí, esgoto, nascentes e orla do Guaíba.

ODS 16 – PAZ, JUSTIÇA E INSTITUIÇÕES EFICAZES – Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis. Palavras-chave: violência, corrupção, instituições públicas ineficazes e injustiça.

ODS 17 – PARCERIAS E MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável. Palavras-chave: lideranças ambientais históricas; habilidade de estabelecer redes.

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

nove + 6 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.