Vem aí, Baby Satanás, a banda que une gerações do Rock Gaúcho

A banda, que fez sua estréia nos palcos no final de 2017, em Passo Fundo, interior do Rio Grande do Sul, quando ainda nem tinha sido batizada, une membros do antigo e do novo Rock Gaúcho: Marcio Petracco, Paul Arcari, Pedro Ernesto Rocha Petracco, Evandro Bitt (Vandú) e Lucas Hanke (Cabelo) formam a Baby Satanás e prometem botar todo mundo para dançar.

O repertório dos caras conta com sons das bandas em que os 5 integrantes tocam ou tocaram: Identidade, Cartolas, TNT, Cowboys Espirituais, Júpiter Maçã, Locomotores e Os Cascavelletes (ok, nenhum dos integrantes da Baby Satanás tocou nos Cascavelletes, mas, segundo Lucas Hanke, eles não podiam ficar de fora), além de, claro, músicas inéditas.

Curiosa com esse novo conjunto, bati um papo com Marcio Petracco sobre a banda, confere aí:

Ana Beise: Sabemos que os integrantes da banda trabalham juntos em outros projetos faz algum tempo, mas como surgiu a ideia deste novo grupo?
Marcio Petracco: A banda teve origem no racha que rolou na Tenente Cascavel, onde eu toquei com o Paulo nos últimos anos. Eu e ele tocamos juntos nos Cowboys Espirituais e no TNT. Inclusive produzimos juntos o primeiro disco da Identidade, banda do Cabelo e do Evandro, pra resumir uma história longa. A ideia foi juntar gente que gosta de estrada e de rock como nós.  Não vou nem falar de tocar com o Pedro, que pra mim é o máximo. (O Pedro, baterista da banda, é filho do Marcio).

Ana: A formação da Baby Satanás une gerações de músicos do “Rock Gaúcho” e se apresenta prometendo tocar sons que fizeram história. Vocês pretendem manter a sonoridade clássicas das canções ou também podemos esperar releituras?
Marcio: A gente pretende se divertir e trabalhar, não necessariamente nessa ordem. A escolha de repertório e arranjos tá rolando muito de boa. Um sugere alguma coisa e o resto topa! Acho que a gente tende a respeitar os arranjos consagrados, mas sempre se muda algo aqui e ali, até por muita coisa do repertório ter sido originalmente gravada por nós mesmos.

Ana: E músicas inéditas, virão? Vocês já tem alguma?
Marcio: A inéditas certamente virão. A gente gosta tanto do estúdio quanto da estrada e tá todo mundo aqui muito a fim de gravar. A gente mal começou, né? Estreamos em Passo Fundo no fim de ano sem sequer ter um nome e sem a presença do Vandú. E a casa lotou, o show foi o maior astral. Daqui pra frente, só melhora. Tá todo mundo na pilha e tá sendo muito legal.

Agora, aguardamos ansiosamente as novidades da Baby Satanás, acompanhe tudo lá no Facebook da Marquise51.

 

 

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

treze − 2 =