Lançamentos no Programa ‘Independência ou morte!’ em agosto

A hora e a vez das bandas independentes aqui na Rádio Putzgrila – o programa ‘Independência ou morte!’ está há 11 anos no ar comigo, Sabrina Kwaszko. Em todos esses anos o foco sempre foi o rock independente seja ele local, nacional ou internacional. No mês de agosto não foi diferente, então destaco aqui alguns lançamentos oficiais apresentados no decorrer dos programas. Confiram os lançamentos de Quarto Sensorial, Far From Alaska feat Dot Legacy, Gustavo Bertoni (Scalene) e P. James (Acústicos & Valvulados). Quarto Sensorial lança disco com trilha para…

Banda Porto Alegrense Os Torto anunciam novo álbum e revisitam a segunda onda do “Punk anos 90”

Com 24 anos de serviços prestados ao rock underground Porto Alegrense, Os Torto anunciam o lançamento de seu quinto álbum “Show de Bola” no dia 20/10 pelo selo carioca Morcego Records, recheado de influências sonoras e visuais de gravadoras como Epitaph e FAT, apresentando uma incursão pela “segunda onda” do punk rock anos 90. A banda conquistou ao longo dos anos um lugar de referência na cena gaúcha figurando como uma das bandas mais divertidas e irreverentes de punk rock na cidade. No primeiro single “Lugar pra eu me sentar”,…

Rádio Putzgrila 11 anos de ROCK DE VERDADE

texto de Sabrina Kwaszko – a locutora mais antiga da rádio ‘no ar’ logo após o fundador Pedro da Fonseca Vcs que já perderam, ou quase, as esperanças no apoio ao rock e suas bandas autorais. A Rádio Putzgrila desde o princípio prioriza o som e os shows de bandas autorais, nesses 11 anos de rádio já perdemos as contas de quantas bandas recebemos para apresentar seu som para nossos ouvintes, assim como já perdemos a conta de quantas bandas autorais levamos ao palco, bandas que existem a mais tempo…

Time Will Burn

Time Will Burn (2016 – 80min), documentário que retrata a cena underground do rock brasileiro nos anos 1990, terá única exibição em Porto Alegre. Será no na quarta-feira (87/12), às 19h30minm, na Sala P. F. Gastal, da Usina do Gasômetro. Depois, rolará um bate-papo com Gustavo Mini (Walverdes) e Daniel Villaverde (Ornitorrincos, Punch Drunk Discos). A conversa será mediada pelo pesquisador do tema e fanzineiro Jamer G. Mello (Zinescópio). O documentário “Time Will Burn – o rock underground brasileiro dos anos 90” retrata a cena underground brasileira do início dos anos 1990,…

Lollapalooza, do lado B ao lado AAAAA

Lollapalooza –  às vezes pronunciada como lollapalootza ou lalapaloosa, vem de uma expressão americana que significa “algo ou alguém muito impactante ou excepcional”. Falta menos de 1 mês para um dos maiores festivais de música que rola aqui no Brasil! Sampa vai sediar a terceira 3º edição do Lollapalooza no país. O estilo musical vai do rock ao eletrônico, com pitadas de folk, hip hop e outras cositas mas! Serão 48 performances divididas em 24 apresentações por dia entre bandas, dj’s, duos e solos. Sim, é um dos maiores eventos mainstream da atualidade!…

Sexo frágil é o caralho: garotas do Rakta (SP) estarão no RS para mostrar a força de seu som

Janeiro e fevereiro são meses de vacas magras para shows de rock, tanto de bandas renomadas quanto do circuito underground. Ainda assim, mesmo que com frequência menor do que no restante do ano, sempre rolam eventos bacanas para se exercitar o ofício de roqueiro doido que nos faz felizes. É o caso da minitour que as paulistas do Rakta farão em Porto Alegre.

Cobertura: Devendra Banhart pela primeira vez em Porto Alegre

Na segunda-feira dia 18 de novembro, Porto Alegre recebeu um dos maiores ícones do rock no novo século. Estadunidense criado na Venezuela, Devendra Banhart, de 32 anos, é considerado a figura mais proeminente do movimento New Weird America (novos e estranhos EUA) ou Freak Folk em meados dos anos 2000, inicialmente com um som simplista, predominantemente acústico e com letras que fazem pouco sentido cantadas de forma exótica quase infantil – que no fim das contas lembra bastante os anos de sucesso do folk-rocker britânico Donovan, e o Tyranossaurus Rex,…

Segunda edição do ‘Faça Você Mesmo Zine Fest’ está marcado para domingo, dia 1º de dezembro

  A circulação da arte marginal é movida com base numa máxima já conhecida por quem produz, consome e/ou interage com o universo underground: do it yourself (faça você mesmo). Apoiada nela, uma ferramenta que deu – e ainda dá – suporte a iniciativas fora do circuito tradicional é o fanzine. Para celebrar, tanto o lema que pressupõe iniciativa própria quanto os saudosos informativos muito bem quistos por adeptos da vida torta, um grupo de agitadores culturais que vivem em Porto Alegre resolveu criar o “Faça Você Mesmo Zine Fest”.…

Boka, baterista do Ratos de Porão, fará palestra em POA

  Maurício Alves Fernandez, o Boka, não é apenas o baterista do Ratos de Porão. Ele é também proprietário do selo Peculio Discos e uma das pessoas mais ativas no cenário independente do Brasil. É uma figura que compreende, como poucos, a expressão que norteia a cultura punk/hardcore: a do faça você mesmo. Com a banda, uma das maiores referências em desgraceira sonora do país, já correu o mundo em turnês que ele mesmo ajudou a organizar. No comando da Peculio, lançou discos gringos que gravadora nenhuma quis colocar no…

19 anos da morte de Kurt Cobain

escrito por Sabrina Kwaszko

Hoje completa 19 anos da morte de Kurt Cobain, mas parece que foi ontem que eu estava assistindo o show do Nirvana, no Hollywood Rock, transmitido pela TV globo e ele cospe na câmera e mostra o “pinto”. Os motivos do ato… Dizem que o João Gordo disse…

Escritor carioca Cristiano Onofre retorna a Porto Alegre para (re)lançar o livro ‘Câmera Lenta’

O Mondo Cane (João Alfredo, 325, Porto Alegre) promove, no dia 16 de janeiro, às 20h, seu primeiro evento interestadual: o lançamento do livro ‘Câmera Lenta’, do carioca Cristiano Onofre. O escritor já passou pelo Rio Grande do Sul em 2012 divulgando a publicação, mas retorna agora para uma série de atividades. Uma delas é, justamente, falar ao público porto-alegrense – mais uma vez – sobre a coletânea de contos inspirada em sua vivência no circuito underground.

Underground, faz parte do meu show

Texto: Homero Pivotto Jr.  Como diversos jovens desgarrados por aí, eu também quis ter uma banda. Mas, acredito que minha visão sobre ‘ser músico’ não era a mesma que tinha boa parte da rapaziada com vontade de tocar. Eu queria me juntar com outros idiotas com afinidades em comum apenas para mandar um som, encontrar diversão. Nunca tive a pretensão de fazer sucesso, ganhar visibilidade ou algo que o valha. Se a parada desse certo, ótimo! Se não, sem crise. Pouco tempo depois, descobri que havia um punhado de gente…