Surfando sobre melodias siderais

Surfando sobre melodias siderais

A expectativa era grande. Afinal, foram incontáveis os prêmios, discos vendidos, aparições na capa da Guitar Player e alunos de peso do condecorado maestro Joe Satriani. E o espetáculo começou na velocidade da luz. Sob imagens de uma nave espacial singrando os céus no telão, em seu atual visual Vin Diesel, Satriani já entrou solando com os dentes na primeira canção. Logo na sequência, uma daquelas músicas mais lentas, de melodia marcante e emocional, deixou claro que não seria apenas uma exibição de virtuosismo, mas sim música instrumental de primeira grandeza, daquelas que prestigia as melodias e cuja linguagem fala diretamente ao coração, sem pedir passagem às palavras.

Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro
Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro

De certo que não faltaram solos ultravelozes, harmônicos, digitações e todas as técnicas e truques possíveis e impossíveis da guitarra elétrica para deleite de um público repleto de músicos, entendidos e iniciados que lotou o Araújo Viana. Não faltou espaço também para que cada um dos integrantes da banda mostrasse suas habilidades em número próprio, destacando-se o poderoso solo de bateria de Marco Minnemann, cheio de acrobacias e malabarismos inusitados com as baquetas.

Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro
Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro

Desfilando incontáveis e belíssimas guitarras, Satriani também dialogou com o baixo, de Bryan Beller, com a outra guitarra e o teclado, ambos tocados com excelência por Mike Keneally, e com o público, num daqueles cânticos primais contagiantes, mostrando que música é linguagem, interação, parceria. Ele ainda cantou um rockão contagiante com voz gutural e tocou gaita de boca, surpreendendo a todos com tanta versatilidade.

Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro
Joe Satriani. Foto: Samanta Oliveira Loureiro

E para finalizar, já no bis, nos levou para surfar pelo espaço sideral com o mítico super-herói da Marvel, o Surfista Prateado, numa aventura eletrizante ente asteroides, planetas longínquos, rajadas de energia, acordes alienígenas e notas perfeitas, até encontrar seu chefe e inimigo Galactus, o devorador de mundos. A guitarra elétrica é o instrumento mais emblemático do Rock e Joe Satriani, um dos maiores guitar heroes de todos os tempos: o arauto que veio noticiar a magnitude do poder da música, que devora e abraça mundos e mentes sem precisar das palavras. Ame o Rock. Viva a Estrada. Ouça a Putzgrila.

Texto por Rejubamorgan, O Camaleão Pirata

 

Ana Beise

Produtora, faxineira fascinante e agente do caos da Putz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.