Os Torto disponibilizam discografia para streaming nas principais plataformas de música digital

Toda discografia, vida e obra dos Torto agora está disponível para streaming gratuito nas principais plataformas de música digital.  

Basta escolher e acessar: ?

Spotify: https://goo.gl/uSJck3

GooglePlay: https://goo.gl/uSJck3

Bandcamp: http://goo.gl/dvE6GZ

Deezer: http://goo.gl/fYxBxO

Para acompanhar a banda: www.facebook.com/os.torto

?

           São 22 anos de atividades prestadas ao underground, três discos lançados, uma cocoletânea cheia de não-sucessos e quase 200 shows realizados nesse tempo. Essa é a vida da banda Os Torto. Uma das mais respeitadas bandas do underground gaúcho. Um som que agrada a velha geração e vem conquistado cada vez mais espaço entre a nova.

Cocoletânea TORTOMANIA para embalar 2016

Tortomania
?

As músicas da coletânea foram escolhidas através de uma enquete criada pela banda via facebook. Os fãs, ou melhor, os amigos e amigas da banda ajudaram a formar o set deste material que reúne sons destes 22 anos de história do grupo porto alegrense. São 22 canções. Algumas versões demo, outras que nunca chegaram a ser lançadas como “cabeça de joelho” e “hardcore, punk e cerveja”, outros clássicos do grupo como “Xisto” e “Luanomalia” e a inédita “Vinte anos”, que celebra a trajetória do grupo durante todo esse tempo.

“Pereio” marca nova fase em 2015

Pereio
?

Os Torto iniciaram 2015 com o lançamento do álbum Pereio e também estreando a nova formação contando com Thalis Miguel na bateria.  Após o terceiro disco, em plena decadência física, com barrigas cada vez maiores, dores nas costas e com constantes dores de cabeça,  os rapazes superam facilmente essas adversidades e comemoraram os vinte e um anos em grande estilo. Os Torto mostravam aqui um trabalho mais afiado, irônico e fazendo gracinhas melhor do que nunca. São 15 faixas intergalácticas em aproximadamente 27 minutos. Letras ácidas, bem humoradas, uma boa mistura de puro rock´n roll com influência de punk rock/bubblegum.


Álbum Marrom e o recomeço em 2012

Marrom
?

Após o consagrado álbum “Anthology”, lançado em 2006, Os Torto voltavam a despejar o peso das guitarras e aquela melodia desenfreada com o “Álbum Marrom”, uma referência ao álbum branco daquele grupo de rapazes lá de Liverpool. A falta de noção desses rapazes foi convertida neste disco em uma tremenda “punkadaria” realmente feita para dançar. O disco abre com “Legalize o Roubo”, que de cara é uma das faixas mais legais do álbum, e segue no mesmo nível com “Olho de gato” e “Matineé Cine Trash”. Formado por 12 deliciosas faixas, diplomados na Escola Toy Dolls e Ramones de ser, Os Torto mostram aqui uma maneira criativa de como transformar experiências cotidianas em letras hilárias, desconcertantes e também de uma forma bastante criativa.

            Anthology: The best of Os Torto

Anthology
?

        Após 12 anos de atividades, tocando em tudo que é buraco nos rincões do Rio Grande do Sul, a banda mais despretensiosa de Porto Alegre lançou seu primeiro disco. Como o próprio nome sugere, o material reúne um apanhado do inicio da carreira da banda. As letras em português apresentam um bom humor que se tornaria característica do grupo com o passar dos anos.

        Lançado em 2006, o álbum de estreia da banda é basicamente repleto das músicas que fizeram a cabeça da galera no final dos anos 90 e inicio dos 2000. A banda que se formou em 1994, conquistou com o passar dos anos diversos admiradores. Tocando bastante em Porto Alegre, na região e no interior do estado, Os Torto logo se tornaram uma banda conhecida no underground gaúcho. O álbum, mais do que merecido, demorou para sair e  levou o nome de Anthology: The best of Os Torto.

 

           Desde 1994, amando e odiando vocês!

Em 22 anos, Os Torto já conquistaram um público fiel e de gosto duvidoso. Considerados por muitos charlatões de plantão do underground gaúcho como uma das bandas mais bacanas e divertidas surgidas na safra do punk rock Porto Alegrense da década de 90, a banda atualmente é formada pelo Maestro Gusto Herscovitz (voz, baixo, sintetizadores, theremin, teclados, tímpano, vibrafone, trombone, clarinete, trompe e castanholas), Luiz Gustavo Bivis (voz e guitarra yin), Davi Pacote (voz e guitarra yang) e Thalis Miguel (voz, bateria e efeitos espaciais).

Por  Wender Zanon 
Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

14 − 14 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.