O que foi o Punk – Música? Moda? Ideologia? Revolução cultural ou um movimento que nasceu falido?

escrito por Sabrina Kwaszko

A cultura punk foi tudo isso e mais; foi também poesia, cinema e artes plásticas.  Nos anos 70, a década de surgimento do punk, o Brasil se tornou Tricampeão da Copa do Mundo no México, a Intel lança o primeiro microcomputador do mundo, em 73 acontece a crise mundial do petróleo – OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) aumenta o preço do barril em mais de 300%, o Brasil vive a fase do “Milagre Econômico”, os Beatles acabam, morre o Rei do rock Elvis Presley, chegou ao fim a Guerra do Vietnã com os EUA saindo derrotado, populariza-se a tv a cores e o termo psicodélico entra no vocabulário do dia-a-dia graças aos designers que estavam maravilhados com as belezas que podiam criar com o plástico e o acrílico.

E o Punk com isso?

Pode-se dizer que o punk surgiu por conta de um grande tédio cultural e mudanças de causas, como por exemplo, o fim da guerra do Vietnã, havia acabado o grande motivador do movimento hippie, parecia não haver mais motivos para se pedir ‘paz e amor’ e os olhos daquela juventude passaram a enxergar outras deficiências da sociedade mais difíceis ainda de engolir e se revoltaram; primeiro contra os hippies e depois com o mundo. Uma reação a não violência dos hippies e a certo otimismo daqueles.

O movimento punk foi como um acordo inconsciente coletivo de uma juventude que viveu a margem da sociedade não porescolha, mas por condições básicas e precárias de vida mesmo. Eles tiveram que lidar com problemas reais como conviver lado a lado com criminalidade, desemprego, deficiência na saúde pública para o povo e alimentação escassa. Ser punk nascia de uma situação de vida muito ruim e mesmo assim querer algo melhor para seu destino, mas como ter acesso à cultura sem ter dinheiro no bolso e vivendo longe dos grandes centros culturais? “Do it yourself” (façavocêmesmo).

 

Musicalmente falando o punk surgiu nos EUA com a banda Ramones e uma apresentação deles influenciou Mark Perry a largar seu emprego no banco e lançar o funzine punk Sniffin’ Glue (“cheirando cola”) de senso humor ácido e visual grosseiro foi o zine que lançou a bandeira “Do it yourself”. O Zine circulou por um ano e o seu nome nasceu inspirado na música “now i wanna sniff some glue” do primeiro álbum do Ramones. Sem gramática, sem layout e com palavrões as edições chegaram a atingir 15.000 cópias. Como o punk não circulava nas grandes mídias (ao menos no começo), quem queria saber algo sobre punk e ver fotografias recorria ao zine. Sua última edição foi em 77 e encerrou com um apelo para seus leitores, que eles seguissem os mesmo passos do zine Sniffin’ Glue  e criassem seus próprios funzines punks e os colocassem em circulação.

Agora pra quem ficou curioso no conteúdo do zine punk Sniffin’ Glue tenho uma boa notícia em 2000 Mark Perry lançou uma compilação de todas as edições e com mais algum material novo escrito por ele, se chama Sniffin’ Glue: The Essential Punk Accessory. Você encontra a venda pela internet e também disponível para baixar. Essas e outras histórias sobre o punk a gente segue em outros artigos.

 

 

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

13 + 16 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.