Nick Cave é tema do próximo Cine Iberê em Porto Alegre

Nick Cave é tema do próximo Cine Iberê
O músico protagoniza o filme Nick Cave: 20.000 dias na terra, de Iain Forsyth e Jane Pollard, que será comentado pelo jornalista Mauro Borba. A entrada é franca

No próximo domingo, 6 de maio, às 16h, o Cine Iberê exibe o filme Nick Cave: 20.000 dias na terra, dos realizadores ingleses Iain Forsyth e Jane Pollard. A sessão – que é uma oportunidade para conhecer o processo criativo de um dos músicos mais inventivos de nosso tempo – contará com os comentários do jornalista Mauro Borba. Com curadoria de Marta Biavaschi, a exibição é uma atividade cinematográfica paralela à exposição Unânime Noite – Volume 3.

Premiado como Melhor Direção e Melhor Edição em Documentário no Sundance Film Festival (EUA, 2014) e ganhador do Prêmio FIPRESCI no Festival de Istambul (Turquia, 2014), Nick Cave: 20.000 dias na terra é um vislumbre da mente do lendário compositor, estrela do rock e líder da banda The Bad Seeds, Nick Cave. O filme acompanha o músico por um dia fictício, entre o real e o imaginário, sessões de análise, encontro com músicos, dirigindo seu carro para passageiros especiais, falando do presente e do passado, enquanto busca por inspiração. Para assistir ao trailer acesse: https://vimeo.com/116663998

Iain Forsyth e Jane Pollard são formados na Universidade de Londres e trabalham juntos, especialmente no campo das artes visuais e instalações sonoras para galerias e museus. São conhecidos por inovações na área da reencenação musical, como a montagem do último show de David Bowie como Ziggy Stardust, no trabalho A Rock ‘n’ Roll Suicide (1998).

Mauro Borba é jornalista, criador da rádio Pop Rock – 107.1 – onde atua na função de Gerente Geral e apresenta os programas Cafezinho, A hora do rush e Boys don’t cry (1997). Graduado e Mestre em Comunicação Social pela UNISINOS, é autor do livro Prezados Ouvintes – histórias do rádio e do pop rock (editora Artes e Ofícios, 1996), relançado em 2001, sendo o livro mais vendido da Feira do Livro de Porto Alegre na categoria Não-ficção daquele ano. Atualmente é diretor da rádio Mix Porto Alegre – 107.1.

A Fundação Iberê Camargo tem o patrocínio de Itaú, Grupo GPS, IBM, Oleoplan, Agibank, BTG Pactual, Banrisul e apoio SLC Agrícola, Sulgás e DLL Group, com realização e financiamento do Ministério da Cultura / Governo Federal.

A Person Pianos apoia a realização da exposição Unânime Noite. A exposição Avesso conta com o apoio de Traduzca.

Exposições em cartaz

Unânime Noite – Volume 3
Artistas: Ana Mazzei | Bas Jan Ader | Cinthia Marcelle | Cristiano Lenhardt | Daniel Jablonski | Daniel Jacoby | Débora Bolsoni | Eduardo Haesbaert | Elena Narbutaiter | Elida Tessler | Felipe Braga | Fernanda Gassen | Guerreiro do Divino Amor | Gustavo Torres | Gusmão e Paiva | Iberê Camargo | ÍO | Jorge Francisco Soto | Marilá Dardot | Matheus Rocha Pitta | Michel Zózimo | Pablo Accinelli | Raymundas Malasauskas & Marcos Lutyens | Regina Silveira | Rodolpho Parigi | Sara Ramo | Samuel Beckett

Curadoria: Bernardo José de Souza

Local: 2º e 3º andares

Período de exibição: de 10 de março a 06 de maio de 2018

A exposição Unânime Noite – Volume 3 traz obras – muitas delas inéditas – de cerca de 30 artistas contemporâneos, referências nas artes visuais locais e mundiais. Inspirada nos jogos surrealistas e na literatura de Jorge Luis Borges e Julio Cortázar, a mostra questiona os limites da linguagem e a autoria, num instigante desafio narrativo. (acesse a lista de artistas, obras e imagens aqui).

Unânime Noite tem a estrutura de um romance. Ao invés de capítulos, obras de arte compõem uma narrativa de ficção, cujo desdobramento se dá nas experiências vividas ao longo do percurso realizado pelo visitante no espaço expositivo. Partindo de um texto escrito pelo artista lituano Raimundas Malašauskas (leia o texto e ouça o áudio aqui), o curador Bernardo José de Souza – que cumpre o papel de “narrador” da história – convida outros artistas para dar continuidade à narrativa, criando novas obras (novos capítulos) ou elegendo obras já existentes, que derivem ou se articulem com as anteriores e, assim, sucessivamente. Neste sentido, a estrutura da exposição busca desafiar as noções convencionais de narrativa: existe uma ordem de “leitura” proposta pelo autor, mas que pode e deve ser subvertida a qualquer tempo por iniciativa do leitor/visitante.

Avesso, de Andressa Cantergiani e Maurício Ianês
Artistas: Andressa Cantergiani e Maurício Ianês

Local: 4º andar

Período de exibição: de 14 de abril a 03 de junho de 2018

Visitação: sábados e domingos, das 14h às 19h

Avesso é uma ação-instalação concebida e executada pelos artistas Andressa Cantergiani e Maurício Ianês, que pretende tornar visíveis e presentes as estruturas, trabalhadoras e trabalhadores da Fundação Iberê Camargo, assim como os seus visitantes. Avesso é uma ocupação performática e relacional com duração de um mês e meio, com a presença dos artistas aos sábados e domingos. Ao “virar do avesso” a instituição, a obra propõe um questionamento sobre como as relações são criadas dentro de um espaço institucional artístico, ampliando e revelando as possibilidades de criação e distribuição do sensível de forma coletiva e transparente.

Serviço
Cine Iberê
Domingo, 6 de maio, às 16h – Nick Cave: 20.000 dias na terra, de Iain Forsyth e Jane Pollard (1h35min, 2014, Reino Unido). Sessão comentada com Mauro Borba

Entrada franca por ordem de chegada | Classificação indicativa: 14 anos

Local: Auditório BTG Pactual

Endereço: Fundação Iberê Camargo – Avenida Padre Cacique, 2000

Como chegar:

A Fundação Iberê dispõe de estacionamento pago, operado pela Safe Park.

As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.

Pedestres e Ciclistas: existe uma passagem para que pedestres e ciclistas possam atravessar a via em segurança. A passarela é acessada pelo portão de entrada do estacionamento. A Fundação também dispõe de um bicicletário, localizado nos fundos do prédio.

Site: www.iberecamargo.org.br

Fanpage: www.facebook.com/fundacaoiberecamargo

Instagram: @ f_iberecamargo

Visita virtual Google Artes & Culture – https://goo.gl/wYr75v

Sobre a Fundação Iberê Camargo
A Fundação Iberê Camargo é uma instituição privada sem fins lucrativos, criada em 1995, a partir de um desejo do próprio artista e sua esposa, Maria Coussirat Camargo, e com o apoio de amigos e empresários de Porto Alegre.

Há 22 anos, a Fundação desenvolve ações culturais e educativas com a missão de preservar o acervo, promover o estudo, a divulgação da obra de Iberê Camargo e estimular a interação de seu público com arte, cultura e educação, por meio de programas interdisciplinares. Seu acervo é formado por um núcleo documental, composto de documentos e imagens relacionadas à vida e à obra do artista, e um núcleo com a coleção Maria Coussirat Camargo, que inclui pinturas, gravuras, guaches, desenhos e estudos de Iberê Camargo, obras que o casal acumulou durante a vida.

A sede da instituição, inaugurada em 2008, foi projetada pelo português Álvaro Siza, um dos arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O projeto recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2002) e é mérito especial da Trienal de Design de Milão.

Referência arquitetônica na cidade de Porto Alegre, o prédio possui salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, ateliê de gravura, ateliê do educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Iberê Camargo

[Restinga Seca, 1914 – Porto Alegre, 1994] – Iberê Camargo é um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20. Autor de uma extensa obra, que inclui pinturas, desenhos, guaches e gravuras, Iberê nunca se filiou a correntes ou movimentos, mas exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual brasileiro. Dentre as diferentes facetas de sua vasta produção, o artista desenvolveu as conhecidas séries Carretéis, Ciclistas e As idiotas, que marcaram sua trajetória. Grande parte de sua produção, estimada em mais de sete mil obras, compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.

Related posts

Leave a Comment

oito − um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.