Cobertura do MATANZA FEST 2014: Bandas com vontade de fazer o que sabem de melhor!

Finally Doomsday, Brujeria, BioHazard e Matanza garantiram o sucesso de mais um Matanza Fest, evento que iniciou as 20h30 do dia 13 de Dezembro, em Porto Alegre.

Com a produção engajada da Abstratti, o Matanza Fest de Porto Alegre (evento que acontece em várias cidades do Brasil) vem conseguindo cumprir seu propósito desde 2012, trazendo uma noite de rock pesado em grande estilo para aqueles que sentem falta da pancadaria musical aqui pelos pampas!

Finally Doomsday Iniciando os trabalhos!

Pontualmente a Finally Doomsday iniciou os trabalhos com seu tanque de guerra Grind/Death, mostrando que são uns dos nomes fortes daqui do Rio Grande Do Sul. Uma pena que o show teve apenas trinta minutos, mas serviu para que muitos dos que estavam lá sentissem vontade de procurar mais pela banda e descobrir tudo que eles podem oferecer. Destaques para Post Nuclear Armageddon e From Enslavement to Obliteration, cover do Napalm Death.

El cynico a.k.a Jeff Walker (baixo) e Juan Brujo a.k.a John Lepe (Vocal), devidamente uniformizados, marca registrada da banda.
El cynico a.k.a Jeff Walker (baixo) e Juan Brujo a.k.a John Lepe (Vocal), devidamente uniformizados, marca registrada da banda.

Terminado o show da Finally o público aproveitou para pegar aquela cerveja gelada e se preparar para o grindcore em espanhol dos caras do Brujeria. Logo após a Verga Del Brujo, continuaram seu set poderoso com El Desmadre, arrancando uma salva de aplausos e gritos em uníssono, chamando pelo nome da banda. Na sequência tocaram Raza Odiada (Pito Wilson), mas foi com Marcha de Odio que o Pepsi on Stage estremeceu com tantos pulos. O show que durou uma hora seguiu com muita energia e fúria, passando pelos clássicos La Migra e Brujerismo. Brincadeiras e ovações com as mulheres brasileiras e até um flerte bem espirituoso do vocalista Juan Brujo com a música Macarena fazendo o público dar boas risadas e dançarem, mas não sem antes terminarem o show com seus facões em punho tocando Matando Gueros, uma das performances memoráveis da noite.

Scott Roberts (Baixo/vocal), Billy Graziadei (guitarra/vocal) e Bobby Hambel (Guitarra) colocando o publico para pular do começo ao fim!
Scott Roberts (Baixo/vocal), Billy Graziadei (guitarra/vocal) e Bobby Hambel (Guitarra) colocando o publico para pular do começo ao fim!

Depois da revolução mexicana, chegou a vez dos caras do BioHazard, às 22h40, mostrarem que estavam ansiosos pelo show em Porto Alegre. Já na primeira música, Shades Of Grey, destruíram tudo e colocaram o Pepsi On Stage para pularem juntos. Sem deixar o folego terminar já emendaram What Make Us Thick com o guitarrista Billy Graziadei fazendo um show à parte descendo do palco com sua guitarra e correndo entre os fotógrafos e o público, momento que se repetiu durante todo o show. O grupo exalava energia a cada nova música e não deixou o público presente desanimar. Clássicos foram ouvidos e Urban Discipline, DFL, Victory, Black and White and Red All Over e Howard Beach foram executadas com a fúria necessária para fazer o pessoal pular e formar as clássicas “Rodas Punks” por vários cantos do evento. O show terminou com Punishment  juntamente com o sentimento de dever cumprido e respeito ao público presente. Declarações foram feitas e ficou claro que a banda realmente se divertiu. Recompensa de ambos os lados.

Matanza fechando a noite, conhecendo muito bem o público de Porto Alegre.

Mas ainda faltava o Matanza entrar para fechar a noite e fizeram isso exatamente às 00h05 com Ressaca Sem fim. Era visível descobrir porque o evento Matanza Fest acontece tão bem aqui em Porto Alegre. O público possui uma identificação sem igual com o grupo e Jimmy London e companhia sabem muito bem as “artimanhas” para ganhar o público, receita que se repete todos os anos e sempre garante a diversão. Porém, engana-se quem acha que não houve novidades esse ano; O Matanza Fest 2014 contou com a participação do Donida em todos os shows do Brasil (O guitarrista e principal compositor da banda havia deixado os palcos em 2008 para dedicar-se apenas as composições da banda, dando lugar para o guitarrista Mauricio Nogueira) tocando na íntegra o álbum Santa Madre Cassino (2001).

Depois de pedradas como Pé Na Porta e soco na Cara, Eu não gosto de Ninguém, Todo Ódio da Vingança de Jack Buffalo Head, Clube dos Canalhas, Maldito Hippie Sujo, Tempo Ruim e o Santa Madre Cassino na íntegra eles ainda tocaram uma música inédita, Matadouro 18, que estará presente no próximo álbum da banda que será lançado em Janeiro próximo, trazendo a participação, pela primeira vez, de ambos os guitarristas. Despediram-se com Bom É Quando Faz Mal, Arte Do Insulto e O Chamado do Bar, garantindo quase duas horas do melhor que eles sabem fazer.

Jimmy London (vocal) e Matanza Fest mais uma vez terminaram a noite com o sentimento de dever cumprido.

Ponto positivo para a Abstratti que organizou o evento de Porto Alegre, mostrando que tem seu lugar de destaque na cena musical local.

Matanza Fest 2015, aí vamos nós!

Related posts

Leave a Comment

18 − quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.