Marcelos Gross, Erick Endress e Terra Celta estão entre as atrações do Festival da Independência

Marcelos Gross, Erick Endress e Terra Celta (PR) estão entre as atrações do Festival da Independência, neste feriadão

Por Homero Pivotto Jr.

Nesta quinta-feira (6), sexta (7) e sábado (8), o Festival da Independência coloca no palco do Sub Club Cultural (Joaquim Nabuco, 288) artistas do circuito independente da região Sul que merecem destaque. São duas atrações por dia: o primeiro (6/9) é com Marcelo Gross (ex-Cachorro Grande) e Erick Endres, o segundo tem (7/9) Luciano Granja Grupo e Terra Celta (Londrina-PR) e, no encerramento (8/9), tocam CxFxC e Distraught. O evento começa cedo (18h em qualquer das três datas) e os ingressos podem ser adquiridos no dia das apresentações (os primeiros 50 de cada data custam R$ 15 e os demais R$ 20).

 

O Festival

 

O Festival da Independência é uma iniciativa multicultural que tem como objetivo promover o encontro de artistas emergentes, ainda buscando uma vaga entre os titulares do rock e do pop em solo gaúcho.

O foco do evento é a produção da região Sul, onde pipocam músicos com trabalhos distintos e plurais, mas com elementos em comum (a criatividade e o desejo de verem suas obras atingindo cada vez mais público, por exemplo).

Fazer de Porto Alegre ponto de encontro para o festival se justifica pelo fato de a Capital e região metropolitana terem forte tradição no cenário musical. Nomes como Garotos da Rua, Cascavelletes, TNT, Nenhum de Nós e Engenheiros do Hawaii — que começaram no underground e conquistaram grande visibilidade — revelam que é possível garimpar sons de qualidade por estes pagos. E nem é preciso apelar para o passado. Atualmente, também existe qualidade na música que é feita de maneira independente no sul do Brasil. E é isso que o Festival da Independência vai mostrar com Erick Endres, Marcelo Gross (ex-guitarrista da Cachorro Grande), Luciano Granja Grupo, Terra Celta, Distraught e CFC.

 

PROGRAMAÇÃO

 

Quinta-feira (06/9)

18h — Abertura da casa

19h — Erick Endres

20h30min — Marcelo Gross

22h — Encerramento

 

Sexta-feira (7/9)

18h — Abertura da casa

19h — Luciano Granja

20h30 — Terra Celta

22h — Encerramento

 

Sábado (8/9)

18h — Abertura

19h — CxFxC

20h30min — Distraught

22h — Encerramento

 

Serviço:

Quando: dias 6, 7 e 8 de setembro de 2018.

Quem: Sub Club Cultural (Joaquim Nabuco, 288)

Ingressos (somente na hora):

R$ 15,00 (os primeiros 50 de cada dia)

R$ 20,00 (demais)

Classificação: 18 ANOS

— É OBRIGATÓRIO o acesso ao evento com algum documento oficial de identificação com foto.

— Casos de assédio, abuso, racismo e homofobia não serão tolerados.

— São aceitos cartões: VISA & MASTERCARD

 

ERIC ENDRES

O primeiro álbum de Erick foi lançado em outubro de 2013, mesmo ano que tocou no festival Lollapalooza com sua promissora banda Dis Moi. O disco homônimo foi lançado pela Sony ATV e Agência de Música quando ele tinha apenas 16 anos. Pouco trabalhado na época, também por causa da idade do artista, o registro introduziu Erick na cena gaúcha. Três anos depois o guitarrista lançou novo material. Trata-se do álbum Mystic Love, que foi dividido em três EPs. Nesse meio tempo, Erick conseguiu fortalecer seu nome, abrindo para artistas como o guitarrista norte-americano Steve Vai, a banda também norte-americana Radio Moscow e Call The Police, de Andy Summer. Além disso, participou de festivais como o Meca Festival (2015) e o Pepsi Twist Land (2017).

MARCELO GROSS

Após 19 anos em atividade com a Cachorro Grande, o guitarrista Marcelo Gross encerra suas atividades junto à banda da qual é cofundador e anuncia projetos focados integralmente à sua carreira solo, como o lançamento de um vinil duplo, um videoclipe, shows e ainda um terceiro disco solo. Chumbo & Pluma, seu segundo trabalho solo e sucesso de crítica, agora chega às lojas em CD e vinil duplo por meio do Selo 180. Com 21 músicas, o álbum foi concebido como um projeto conceitual que se divide em duas partes.

O “Chumbo” com os rocks mais pesados, e o “Pluma” com baladas acústicas mais delicadas. “São opostos vivendo em harmonia, o ying/yang, o acústico e o elétrico”, explica Gross. O autor ainda conta que o disco foi inspirado no famoso álbum branco, dos Beatles, que completa 50 anos em 2018. “No álbum branco as partes pesadas e leves são misturadas, mas no meu disco resolvi dividir”, afirma Gross.

Digital
LUCIANO GRANJA

Consolidado guitarrista do cenário nacional, já tendo tocado com nomes como Pitty, Engenheiros do Hawaii e, atualmente, com Armandinho, lança seu mais novo disco solo, Luciano Granja Grupo, Vol. 2. O grupo também divulga a nova música de trabalho, ‘Seguindo a Trilha’. Anteriormente, a banda já havia liberado “Vacina”, o primeiro single deste novo álbum. Luciano Granja Grupo lançou o primeiro disco em 2016 com 10 faixas autorais que incluíam músicas como ‘Carta’, ‘Matemática’, ‘Vontade de Voar’ e ‘Escuro’ (com a participação especial de Pedro Veríssimo). O registro mais atual é uma sequência do primeiro álbum, seguindo o mesmo padrão e apresentando 10 novas músicas autorais.

TERRA CELTA

Sucesso absoluto nos palcos do Rock in Rio (2013), Rock in Rio Lisboa (2014) e Rock in Rio Las Vegas (2015), a banda paranaense Terra Celta comemora 13 anos de estrada com uma carreira sólida e coesa. Com influências da música folclórica européia e, em especial, da música tradicional da Irlanda, da Escócia e da Bretanha, a Terra Celta traz ao público brasileiro um “folk rock” enérgico e performático. Valendo-se de canções que são um convite para a participação da plateia, figurinos e instrumentos exóticos, o grupo mostra uma apresentação totalmente interativa em que até os mais sisudos entram na dança!

DISTRAUGHT

A Distraught surgiu em fevereiro de 1990 e, após duas demo-tapes e um split, lançou, em 2001, o primeiro álbum: Infinite Abyssal, pela Encore Records. Em 2002, registrou ao vivo o álbum Live Black Jack-SP, que foi lançado de forma independente. Em 2004, saiu Behind the Veil, pela Marquee Records, produzido pelo renomado produtor Fabiano Penna. O álbum rendeu a primeira turnê nacional da banda, a “Behind the Veil Tour”, em 2005, que passou pelas principais cidades do norte, nordeste, sul e sudeste do Brasil. Unnatural Display Of Art é o título do quarto álbum da carreira, lançado em 2009.

A distribuição no Brasil ficou por conta da Voice Music e no Japão pela Spiritual Beast. Nesse mesmo ano, a banda partiu para sua primeira turnê na Argentina. Em 2010, a banda foi convidada para a abertura do Megadeth no Pepsi on Stage, em Porto Alegre. Durante 2011, foi lançado o álbum The Human Negligence is Repugnant, que firmou ainda mais o nome do Distraught no Brasil. O álbum, assim como seus antecessores, recebeu excelentes críticas da mídia especializada, muitas delas colocando a banda como uma das mais importantes do cenário nacional. Recentemente, o grupo gaúcho colocou na rua seu novo álbum, o mais pesado da banda até o momento: Locked Forever.

CxFxC

Banda crossover thrash que teve início no ano de 1991 na cidade de Canoas (RS) e permaneceu em atividade desde então, sem nunca ter parado. Ainda conta com três integrantes originais dos quatro que começaram tudo 27 anos atrás. É pioneira no estilo “cyco” no sul do Brasil e uma das principais representantes desse gênero no Brasil. Recentemente lançou novo álbum intitulado Assuma a Culpa, que já se encontra disponível por completo nas principais plataformas (spotify, deezer, bandcamp, youtube) e vem sendo considerado pela mídia especializada como um dos principais lançamentos do ano dentro do som pesado nacional.

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

4 × 5 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.