Gerson Conrad lança clipe de “Teias”

Gerson Conrad lança clipe de “Teias”

Música faz parte do álbum “Lago Azul”

 

Após mais de três décadas sem lançar músicas inéditas, Gerson Conrad apresentou esse mês o álbum “Lago Azul” (Deck). Agora o ex integrante e fundador do Secos & Molhados lança o primeiro vídeo do novo projeto, da música “Teias”.

O clipe foi dirigido por James Lloyd e Isabella Cavaletti e já está disponível no YouTube. “A concepção do vídeo foi idealizada e produzida por Lloyd e sua equipe. Com a proposta de parecer um pouco um documentário, algumas cenas foram gravadas em minha casa, depois algumas no centro velho de São Paulo e no estúdio Centro Artístico Maluly (São Paulo)”, conta Gerson.

A música foi composta por Gerson para a letra de Pedro Levitch. “É uma composição de 1986 que costumo apresentar em meus shows desde a época. Acho que a intenção indefinida da letra servindo a todos os gêneros surpreendente”, diz Gerson. Assim como “Lago Azul”, a canção foi produzida por ele e o guitarrista Aru Jr.

O álbum “Lago Azul” já está disponível na plataformas digitais. Para ouvir, acesse: https://gersonconrad.lnk.to/LagoAzulAlbumPR

Para assistir o clipe “Teias”: https://www.youtube.com/watch?v=T8vN-zIGFhg&feature=youtu.be

 

Sobre:

Gerson Conrad nasceu em São Paulo em 15/4/1952 e desde cedo se envolveu na música por influência familiar. Aos onze anos iniciou seus estudos de guitarra clássica com base na escola espanhola de Tarrega. Entre 16 e 17 anos fascinado pelos Beatles, a Bossa-Nova e a MPB, passou a participar de vários encontros culturais no Bairro do Bixiga, onde conheceu João Ricardo. Juntos planejaram desenvolver um trabalho que fosse original. Algum tempo depois, conheceram Ney Matogrosso e desse encontro nasceu o Secos & Molhados, grupo que marcou época no Show-Business entre 1972 e 1974. Após a dissolução do grupo gravou dois LPs solo. Atualmente com a sua banda “Trupi”, grupo de músicos que o acompanha, apresentam em show novo repertório e antigos sucessos com uma nova roupagem – como a Rosa de Hiroshima, poema de Vinícius de Maraes que eternizado em canção, é referência do seu repertório. Suas músicas refletem o cotidiano. Tendências não sigue, pois sua obra é universal em sua forma de expressão. Faz um Pop-Rock em seu contexto com pitadas de todas as influências que possa ter assimilado e prevalece do fato de ser brasileiro.

 

 

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

17 − 7 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.