Festival Espacial da querência garagística – 4ª edição

Festival Espacial da querência garagística – 4ª edição

12/06/2019, quarta-feira, a partir das 19h no AGULHA, Rua Conselheiro Camargo nº300, bairro São Geraldo / Porto Alegre

Atrações: ANALEPSE (Canoas/ RS), TO THE EDGE (Caxias do Sul/ RS), BELLA & O OLMO DA BRUXA (Porto Alegre/ RS) e CATAVENTO (Caxias do Sul/ RS)
Discotecagem com o DJ Porã da Unisinos FM, 103.3 e banca de cds/ vinis com Rodrigo
Andrade da 180 Selo Fonográfico.

O Curso de Produção Fonográfica UNISINOS conjuntamente com a rádio Unisinos FM apresentam a quarta
edição do Festival Espacial da Querência Garagística, no dia 12/06/2019, a partir das 19h, no Agulha, Rua
Conselheiro Camargo nº 300 em Porto Alegre A proposta do festival é estabelecer uma conexão entre
artistas-bandas emergentes da capital e do interior do estado, com o público portoalegrense, e assim,
oportunizar um evento no roteiro cultural de Porto Alegre que mostre diversidade musical. O ponto de
partida do festival é a atividade acadêmica Projeto IV -Festival, ministrada pelo professor Ms. (Frank) Jorge
de Oliveira que juntamente com os alunos desenvolvem etapas de curadoria, levantamento de opções de
casas noturnas, necessidades técnicas, captação de recursos e apoiadores, produção executiva e assessoria de
imprensa.

ANALEPSE: natureza psicodélica metropolitana
A banda Analepse, de Canoas, cidade que é um importante polo industrial e cultural do Rio Grande do Sul,
região metropolitana da capital Porto Alegre, está lançando um EP com quatro composições autorais,
disponibilizado nas plataformas digitais, com o título “Cabeça Milenar”. Dentre tantas possibilidades de se
fazer música olhando para a história e o que está sendo feito hoje, a sonoridade da banda Analepse nasce
propositiva: dialoga com rock psicodélico de todas as épocas, criam interessantes atmosferas lo-fi com
teclados, guitarras e vozes, variações de andamentos na mesma canção e chegam a um resultado curioso,
futurista. A banda Analepse é formada por Allison Locatelli Menezes e Christian Locatelli Menezes, ambos
nas guitarras, sintetizadores e vocais e Marcio Locatelli Schitezky, bateria e vocais; as músicas do EP
“Cabeça Milenar” chamam-se Fluxos migratórios, Nimbos (Em juncos), Rewamabe e Intralar e foram
gravadas entre fevereiro e junho de 2018, buscando inspiração nos conceitos “evolução”, “tempo”, “não
pertencer/ não fazer parte e autoconhecimento. O trio norteamericano, Khruangbin, que faz música soul
clássica misturado com dub, psicodelia, ou o também norteamericano Sam Evian, indie-pop, são dois
expoentes da atual cena “modern-psychedelia. Nossos jovens da Analepse (Canoas/RS) também estão
inseridos nesta cena…mesmo que você não os conheça.

TO THE EDGE
“Vamos chegar até o infinito, dar tudo de nós, chegar até o limite, e superá-lo”. Com essa frase, que deu o
nome a banda, a To The Edge foi formada em Caxias do Sul em Fevereiro de 2018, a partir de experiências
anteriores de seus membros Gabriel Tisott, Guilherme Susin e Lucas Barp. A banda ganhadora do Pro Rock
2018 (prêmio de melhor banda regional) já abriu shows de nomes como Esteban Tavares e tem influências
de bandas como Imagine Dragons, The Neighbourhood, Twenty One Pilots, Muse, Cage The Elephant, e 30
Seconds to Mars. Em Janeiro de 2019, lançaram seu primeiro single, Rain, com um aumento significativo no
número de ouvintes e seguidores nas mídias digitais, destacando-se no Spotify e Instagram. As expectativas
de reprodução na plataforma de streaming foram superadas, atingindo o marco de 1000 reproduções em seis
dias. Houve também um maior engajamento por parte dos fãs, compartilhando por meio de stories.

BELLA & O OLMO DA BRUXA
“Banda lixo de noise/lo-fi/rock alternativo de Porto Alegre. Só autorais vindas do coração mesmo” palavras
da própria banda sobre o seu trabalho. Segundo o site www.tenhomaisdiscosqueamigos.com: a banda é
influenciada pelas vertentes do noise-rock e do emo, com arranjos densos e letras que retratam diferentes
perspectivas do amor; lançaram dois singles; em 2017 foi liberada a faixa “Lunar” e em 2018 o grupo
divulgou “Valentina“. A banda é formada por Gabriel Orling, voz e guitarra, Felipe Pacheco, guitarra e voz
Julia Garcia, baixo, Pedro Acosta, bateria.

CATAVENTO
Desde 2012 na estrada e oriunda de Caxias do Sul-RS, a Catavento já rodou o Brasil e firmou seu nome na
cena musical, como um dos expoentes da onda que colocou a psicodelia novamente em evidência na
produção nacional. A banda é formada, João Guilherme Boaventura, Leonardo Sandi Rech, Leonardo Frizzo
de Lucena, Francisco Maffei, Lucas Bustince Bender e Jonas Bender Bustince. Em 2018 lançaram
“Ansiedade na Cidade” (Natura Musical/Honey Bomb Records), elogiado terceiro trabalho. As angústias de
uma geração que vive a hiperconexão desenfreada inspiraram o álbum, que retoma as influências
psicodélicas dos discos “Lost Youth Against The Rush” (2014) e CHA (2016), mas acrescenta pitadas de
jazz, grooves e melodias em português, usando como linha narrativa o cotidiano mundano. O terceiro
trabalho de estúdio da banda foi muito bem recebido pela crítica especializada, figurando nas principais
listas de melhores discos do ano, como a da revista Rolling Stone e o site Popload. Nesse ano, o sexteto foi
uma das bandas nacionais escaladas no line up do festival Lollapalooza Brasil e em agosto se apresentam no
tradicional Festival Bananada em Goiânia.

O quê: Festival Espacial da Querência Garagística, quarta edição.
Quando: 12/06/2019, quarta-feira, a partir das 19h,
Onde: AGULHA, Rua Conselheiro Camargo nº300, bairro São Geraldo / Porto Alegre

Atrações: ANALEPSE (Canoas/ RS), TO THE EDGE (Caxias do Sul/RS), BELLA & O
OLMO DA BRUXA (Porto Alegre/RS) e CATAVENTO (Caxias do Sul/ RS)
Ingressos: R$ 15,00 na hora e também pelo site, www.sympla.com.br
 Preço único.

Apoio: Unisinos FM, Back in Black, Open Stage e 180 Selo
Fonográfico.
Realização: Curso Tecnólogo de Produção Fonográfica UNISINOS e
Agulha.

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

7 + quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.