Elvis escolhe travessura no Dia das Bruxas em Porto Alegre

Elvis escolhe travessura no Dia das Bruxas em Porto Alegre

Auditório cheio e público bem variado: casais apaixonados, pais e filhos animados e famílias aguardando ansiosas para ver de perto um show do Rei do Rock dos anos 50.

As luzes apagam e uma projeção de Elvis caminhando pelo palco através de um pano gigante inicia o show. Em seguida o pano cai e mostra a trupe musicista e Elvis, “que não morreu”, projetado no telão principal.

Para criar uma expectativa, foi apresentado uma espécie de video live com mapa que direcionava à Porto Alegre e depois ao Gigantinho, onde seria realizado o show antes de transferirem para o Araújo Vianna. Eis que Elvis aparece num corredor rumo ao palco. A platéia vibra!

Seu repertório começou com músicas pra lá de românticas até que DE REPENTE uma interferência DO ALÉM fez com que sumisse o Rei do telão e sua tenra voz. A banda tocou o barco, mas deu pra perceber a expressão preocupada de alguns integrantes.

Eis que tudo fica escuro e somente a orquestra é vista num tom azulado. Enquanto a produção está em apuros tentando resolver o problema técnico, alguém resolve soltar uma música instrumental até que tudo se normalize. A platéia entra na vibe e acompanha batendo palmas.

O telão voltou a funcionar! Quando pensamos que tudo voltaria ao normal, eis que o Rei resolve pregar mais uma peça e percebemos que ao cantar o som e imagem não estão sincronizados. Bah! Dessa vez é anunciado o problema técnico.

Alguns minutos depois fomos pegos desprevenidos e a banda voltou tocando e seguiu o baile até o fim sem mais interrupções indesejadas.

O repertório contou com clássicos como Johnny B. Goode, That´s All Right, Heartbreak Hotel (música que Elvis aparece descabelado), All Shook Up, Tutti Frutti e Love Me Tender, que levou a platéia ao delírio.

A última música Can’t Help Falling In Love encerrou o show. Elvis has left the building, senhoras e senhores. Mas a banda não! E não posso deixar de citar que não rolou NENHUMA DESPEDIDA ou AGRADECIMENTO. As pessoas começaram simplesmente a vazar do palco.

O que era pra ser uma despedida triunfal com os remanescentes da banda do Rei, acabou deixando a desejar. Não só pelos problemas técnicos (que estão sujeitos a acontecer), mas a falta de interação e consideração com a platéia foi motivo para deixar alguns pontos negativos. Mas é claro que no fim das contas as pessoas vão dizer que valeu a pena, afinal Elvis é Elvis.

Elvis aproveitou o Dia das Bruxas para pregar peças, brincou de trick or treat e encerrou o expediente um pouco mais cedo pra não perder alguma festa de Halloween por aqui. Alguém viu o Elvis por ai?

Texto: Christiane Takeuchi

Fotos: Ana Beise

Rádio Putzgrila

A Putzgrila é um veículo de rock consolidado na internet, com mais de 13 anos de programação ao vivo, transmissões de festivais, notícias, lançamentos e cobertura de shows nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.