Conexão Floripa: Roger Hodgson (Supertramp) e o Rock n Roll na Ilha da Magia

Conexão Floripa: a cena Rock da Ilha da Magia na Putzgrila

Lua minguante enfeitando o céu da Ilha da Magia, lá nos fomos para o show do Roger Hodgson, ex-vocalista da banda inglesa Supertramp e principal compositor do grupo. Depois de nos encontrarmos perdidos pelo centro de Florianópolis, atravessando túneis e cruzando ruas, eu e Xalberto, meu fiel escudeiro, chegamos ao CentroSul, centro de eventos a beira mar, onde aconteceu o espetáculo.

Foto: Ana Beise

Meu fiel escudeiro, assim como a maior parte do público, já passou dos sessenta anos. Aliás, é cada vez mais notável o aumento no número de anos que as pessoas que frequentam shows de Rock acumulam. Como me disse Frank Jorge uma vez, ‘Rock n Roll é coisa de velho!’. Ok, nada de tão surpreendente assim, já que nossos ídolos também já passam da casa do 60, vários, faz tempo. Mas não deixa de ser meio triste perceber que alguns grandes nomes do rock já não caem no gosto da maior parte dos jovens de hoje em dia. Enquanto esperamos os músicos subirem ao palco, Xalberto me conta detalhes sobre a história do Supertramp e consequentemente, do Rock n Roll, inclusive tecendo teorias para a capa do álbum Breakfast in America, que nomeia a apresentação que Roger traz ao Brasil.

Foto: Ana Beise

As luzes se apagam e a banda sobe ao palco, inicia-se então, com Long Way Home, um show marcado pela execução impecável de diversos clássicos. Multi-instrumentista e dono de um carisma enorme, Roger Hodgson ganha a platéia ao pedir que o público deixe seus problemas lá fora e seja seu durante as próximas duas horas. Acompanhado de músicos que não deixam nada a desejar a formação original do Supertramp – e de um baixista que é a cara do Humberto Gessinger quando jovem – Roger tocou  School, Breakfast in America, The Logical Song, Dreamer, The Fool’s Overture entre outras canções que marcaram época e levaram a platéia a cantar e dançar com ele.

Foto: Ana Beise

Foram duas horas ótimas! A acústica do CentroSul é muito boa e a proximidade com o mar propicia momentos singulares que ficaram marcados na vida desta repórter que vos escreve. Já me disseram algumas vezes que Floripa não tem uma cena rocker solidamente estabelecida, porém, minha primeira noite em um grande show na ilha foi memorável. Só lamento, como já lamentava em Porto Alegre, o preço abusivo dos comes e bebes ofertados em dias de show. Os ingressos para esse tipo de apresentação já não são baratos, elevar o valor cobrado pela água, cerveja ou cachorro quente só torna o público cada vez mais seleto, indo na contramão da contracultura que é o Rock n Roll.

Foto: Ana Beise

Reclamações a parte, não há lamentações quanto a apresentação. Ainda mais depois de ouvir um bis que tinha Had a Dream e Give a Little Bit. E Roger ainda despediu-se prometendo voltar a cidade em breve. Que volte então! Ah, e para fechar o show, na cidade em que chove todos os dias, It’s Raining Again.

Cobertura por Ana Beise e Xalberto

Related posts

One Thought to “Conexão Floripa: Roger Hodgson (Supertramp) e o Rock n Roll na Ilha da Magia”

  1. Lucy

    Show emocionante em Florianópolis, obrigado Roger Hodgson por nos proporcionar td isso! – https://www.youtube.com/watch?v=1fVQ2Rq2U0o

Leave a Comment

15 − 13 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.