Com disco novo a caminho, Ultramen encerra tour “Máquina do Tempo” no Agulha, em Porto Alegre

Com disco novo a caminho, Ultramen encerra tour “Máquina do Tempo” no Agulha, em Porto Alegre
Depois de quase dois anos, a Ultramen se despede da tour “Máquina do Tempo”. O show rola no Agulha, em Porto Alegre, no dia 7 de julho.
A turnê faz parte da divulgação do DVD homônimo, que marcou os 25 anos da banda, reunindo seus maiores clássicos numa apresentação ao vivo e histórica no Opinião. Faixas como “Tubarãozinho”, “Dívida”, “Bico de Luz”, “La Negrita” e “Peleia” estão lá, ao lado de “Robot Baby”, a inédita que foi apresentada como bônus e precede o próximo lançamento da Ultramen, o álbum “Tente Enxergar”, que sai em breve.
Para o show do Agulha, portanto, a banda prepara um set list que contempla não só o DVD, como também as músicas novas. Os singles “Felicidade Espacial” e “Tente Enxergar”, lançados nos últimos meses, são algumas delas.
É, de fato, um show especial, que ocorre num momento em que a Ultramen tem muito a comemorar. A tour rodou diversas cidades de estados como Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, com shows em festivais como Pepsi Twist Land, Planeta Atlântida, Virada Cultural SP e Mendorock, na Argentina. Neste período, a banda ainda lançou o “Ultra Cypher”, o primeiro cypher a ser gravado e transmitido ao vivo pelo Facebook no Brasil; sua própria cerveja, em parceria com a Anner; e o EP “Robot Baby Remixes”, com quatro versões do single produzidas pelos DJs Chernobyl, Bandeira Beats e Micha e pela banda Meliantes.
Sobre a Ultramen
Formada em Porto Alegre em 1991, a banda reúne Tonho Crocco (vocal), Pedro Porto (baixo), Malásia (percussão), Leonardo Boff (teclado), DJ Anderson (scratches) e Zé Darcy (bateria).
A mistura inusitada de black music, samba rock, reggae, rock e rap foi fator determinante para que a Ultramen alcançasse sucesso, se tornando uma das bandas mais respeitadas do país, no mesmo cenário em que surgiram nomes como Planet Hemp, O Rappa, Nação Zumbi, Maskavo, Mundo Livre., e Autoramas.
Na primeira metade da década de 90, a Ultramen gravou suas primeiras duas fitas demo oficiais: Ultramen(1993) e Sem Piedade(1995). Sete anos após seu surgimento, lançou o seu primeiro e homônimo álbum pelo selo independente Rock It!, do guitarrista da Legião Urbana, Dado Villa-Lobos. Neste disco, a Ultramen já trazia uma sonoridade vibrante e a mistura de ritmos musicais que sempre caracterizou o trabalho da banda. A música “Bico de Luz” foi executada em rádios de todo o Brasil, o que rendeu à banda shows pelo país inteiro.
Em 2000, chegou ao mercado o segundo álbum, “Olelê”. A sonoridade mais elaborada foi essencial para o sucesso de faixas como “Ultramanos”, “General”, “Preserve”, Peleia”, “Compromisso” e “Dívida”. Nesta época, a Ultramen lançou de maneira totalmente independente dois discos de vinil: “Olelê 6 Tiros” e “Terrorismo Sonoro Volume 1”.
Já em 2002, saiu o terceiro álbum, “O Incrível Caso da Música que Encolheu e Outras Histórias”, que demonstrou uma variação de ritmos, trazendo no repertório uma mescla ímpar de soul, rap, funk e reggae. O sucesso permitiu com que a Ultramen consolidasse seu trabalho, realizando shows por todo o país. Um ano depois, foi lançado mais um disco em vinil: “Terrorismo Sonoro Volume 2”.
Em 2005, a Ultramen foi convidada a participar do CD/DVD “Acústico MTV Bandas Gaúchas”, ao lado de Bidê ou Balde, Cachorro Grande e Wander Wildner. No ano seguinte, lançou “Capa Preta”, que trouxe hits como “Tubarãozinho” e “É Proibido”. A turnê deste disco se estendeu até 2008, quando a banda anunciou uma pausa nas atividades, com um show de despedida no Opinião, lugar que também marcou a volta da Ultramen, cinco anos depois.
Em atividade, a banda lançou o DVD/CD ao vivo “Máquina do Tempo”, em 2016. Gravado no Opinião, durante o show de despedida, em 2008, o trabalho reuniu clássicos como “Dívida”, “Bico de Luz”, “Tubarãozinho”, “Peleia” e “General”, e ainda trouxe a inédita “Robot Baby”.
A faixa já era um prenúncio do que vem pela frente: o álbum “Tente Enxergar”, gravado em meio a tour do DVD e com lançamento programado para o segundo semestre de 2018. Fazem parte dele, os singles “Felicidade Espacial”, cujo clipe foi dirigido por Carlinhos Carneiro, em sua estreia na função, e “Tente Enxergar”.
“Robot Baby”, que também integra o álbum, ainda ganhou um EP com quatro remixes, assinados pelos DJs Chernobyl, Bandeira Beats e Micha e pela banda Meliantes. O EP está disponível em todas as plataformas digitais, assim como o “Ultra Cypher”, a primeira cypher gravada e transmitida ao vivo pelo Facebook no Brasil. O projeto, que rolou em 2017, no Vila Flores, em Porto Alegre, reuniu todos os elementos do hip hop, com a participação de Negra Jaque, NJ Junior, Cachola e Mun-Rá (MCs), Paxart e Estúdio Hybrido (grafite) e Daniel Cavalheiro e Claudisséia Santos (bboy e bgirl).
Foto: Ricardo Lage/Divulgação
Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

8 − 5 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.