Cavalera Conspiracy fez Porto Alegre tremer

CC

Artigo por Sabrina Kwaszko

Fotos Tiago Alano

Pela primeira vez em Porto, no palco do bar Opinião, a banda Cavalera Conspiracy se apresentou aos headbangers gaúchos.

Sem atrasos subiram ao palco Max Cavalera (vocal e guitarra), Igor Cavalera (bateria), Marc Rizzo (guitarra) e Tony Campos (baixo).

Apresentaram sons como Inflikted, Sanctuary, Black Ark onde Max dividiu o vocal com o enteado Ritchie que fez um show a parte com a galera; entre outros sons dos dois primeiros álbuns da banda o ‘Inflikted’(2008) e o ‘Blunt Force Trauma’(2011).

Prestes a lançar o terceiro álbum chamado ‘Pandemonium’ eles já deram um gosto do que está por vir com as músicas ‘Babyloniam Pandemonium’ e ‘Bonzai Kamikaze’ que tem o peso de toneladas na sonoridade, mas o que os fãs mais antigos estavam esperando mesmo eram os ‘hinos’ da boa e velha Sepultura, e os caras não deixaram por menos.

cc1

Quando começou ‘Arise’ até o headbanger mais durão se emocionou e isso foi só o começo, na sequência o pessoal explodiu com ‘Refuse/Resist’, ‘Territory’ foi um coro só cantando a braços erguidos! Claro que depois de tudo isso a banda não iria embora sem um bis e o Max deu o recado antes de sair do palco: “Se quiserem bis vão ter gritar!” Foi o cara terminar de falar e a galera começar a gritar.

O Bis não podia ser melhor com ‘Orgasmatron’ que remeteu os fãs mais antigos de volta à adolescência e a banda finalizou com a grutural Roots bloody roots’ que lavou a alma do fã mais sedento que pudesse haver por lá.

Show grande, show histórico… Mais um na minha carteirinha do clube de quem viu Sepultura dividir palco Ramones e também com Metallica em momentos diferentes. Longa vida a Cavalera Conspiracy que exorcizou todos os demônios de Porto Alegre nesse grande show.

cc2

Compartilhe:

Related posts

Leave a Comment

1 + 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.