A Linguagem do Blues: Gato

A Linguagem do Blues: Gato

É chegada a hora de mais uma jornada explicativa sobre o universo do blues. Em seu livro, The Language Of The Blues: From Alcorub to Zuzu, Debra Devi explora as profundezas da gíria que dá sentido a esse universo musical particular criado na encruzilhada das culturas africana, europeia e americana. Neste capítulo de A Linguagem do Blues nós vamos descobrir o que os bluesman querem dizer quando chamam alguém de “gato(a)”. Saca só:

Músicos de blues e de jazz usam a palavra “gato(a)” para se referir a outros músicos que eles respeitam. Estudiosos suspeitam que o uso do termo “gato(a)” deriva do idioma Wolof, onde a palavra que significa cantor(a) é “katt”.

Ao menos setenta por cento dos africanos trazidos para as Américas como escravos derivam de dois grupos étnicos maiores: os Mande, da África Ocidental, e os Bantu, da África Central. A civilização Mande estava centrada na região da África Ocidental conhecida como Senegâmbia¹ e incluía as tribos Wolof, Bambara, Mandingo, Fula e Serer.

No mapa, vemos o território da Gâmbia e de seu onipresente vizinho, Senegal.

Os Wolof são conhecidos pelos seus celebrados griôs, uma casta hereditária de cantores que são responsáveis por manter a história oral das tributes através de canções, de forma muito semelhante ao que os bardos da Europa fizeram pelas cortes as quais eles estavam ligados. A palavra Wolof para definir griô é “katt”, o que pode se referir a qualquer músico muito bem sucedido.

Em adição, o sufixio Wolof –kat é um indicador de profissão, e, portanto, se refere a uma pessoa. Se você adicionar o “kat” a um adjetivo, você cria um substantivo composto. Por exemplo: o adjetivo Wolof “hipi” descreve alguém que está ligado e atento ao que está acontecendo. Um “hipi-kat”, ou um “hepcat”, é uma pessoa que está em um baile.

Debra Devi também aponta duas canções para exemplificar o uso da gíria “gato” no blues: “That Cat Is High“, música gravada pelos Ink Spots nos idos de 1938; e “Black Cat Blues“, gravada  entre 1929 e 1938 por Memphis Minnie e Kansas Joe, seu marido na época.

Se você quiser conferir este texto no original, pode encontrá-lo no site American Blues Scene. E se você quiser comprar o livro The Language Of The Blues, pode fazê-lo aqui.

Traduzido por Ismael Calvi Silveira.

1: Em uma explicação resumida, podemos dizer o seguinte: A Senegâmbia foi uma confederação entre dois países africanos, Senegal e Gâmbia. Ela se iniciou no dia 1º de fevereiro de 1982, após um tratado negociado entre as duas nações em dezembro de 1981. A união se deu baseada em interesses mútuos de segurança que concerniam às fronteiras de ambos os Estados, porém, ela foi desejada e projetada de cima para baixo. Resolvidas as questões de segurança, nunca houve um desejo real de integração das duas populações – na verdade, o que se deu foi o oposto. Tanto por parte da população senegalesa quando da de Gâmbia, havia um medo e uma recusa se tornar o outro, assim, a confederação foi dissolvida em 23 de agosto de 1989.

Rádio Putzgrila

A Putzgrila é um veículo de rock consolidado na internet, com mais de 13 anos de programação ao vivo, transmissões de festivais, notícias, lançamentos e cobertura de shows nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × três =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.