Tankard em Porto Alegre: um brinde à vivacidade do thrash metal

Em sua segunda passagem por Porto Alegre, na última terça-feira, dia 22 de janeiro de 2013, no Beco, o Tankard fez lembrar o título de uma de suas faixas: ‘The Beauty and the Beast’. Os alemães trouxeram toda a beleza de um show potente, sangue no olho e carismático. Não contentes, mostraram ainda que tiozões rockeiros podem protagonizar apresentações com tanta ou mais bestialidade (no sentido de empolgação, que fique claro!) que muita banda jovem. Antes dos thrashers germânicos, os croatas da War-Head abriram a noite.

O trio despejou, em um show curto – talvez em função do atraso de aproximadamente uma hora no cronograma –, seu thrash/death impiedoso. Foram menos de 30min para o grupo apresentar seu som. Tempo suficiente para deixar uma ótima impressão.

 

Dario Turcan “Darac”, baixista e vocalista da War-Head

Troca de equipamentos rápida e o Tankard já estava apostos para começar o massacre. Enquanto o público tietava alguns dos integrantes, outros já se posicionavam no palco. O primeiro petardo, antecedido por uma intro, foi das antigas: ’Zombie Attack’, faixa que dá nome ao primeiro trabalho dos caras. Dali em diante, foi um desfile de velocidade e agressividade sonora que só quem gosta mesmo da coisa sabe fazer. Banda afiada, visivelmente contente de estar ali, mesmo com quase 30 anos de história. Sempre agitando, o vocalista e um dos fundadores do quarteto, Andreas Geremia, deu aula de empolgação, além de atestar que sua voz ainda dá conta do recado mais que bem. O baixista e também membro original, Frank Thorwarth, mandou brasa estampando um sorriso sincero na maior parte do tempo. Os outros dois componentes da banda, Olaf Zissel (bateria) e Andreas Gutjahr (guitarra), também não decepcionaram. Foram precisos e competentes em seus postos.

Andreas Geremia mostrou boa forma em ação

Geremia disse em certo momento que a banda nunca parou, tampouco abriu mão de compor temas rápidos e explosivos. Nem precisava, afinal, a prova estava ali diante de todos. Em meio a copos para cima e stage dives acanhados, o Tankard brindou a rapaziada com faixas de toda sua carreira. Entre as cacetadas, rolaram ‘The Morning After’, ‘The Beauty and The Beast’, ‘Rapid Fire’, ‘Slipping From Reality’, ‘Rules for Fools’, ‘Maniac Forces’, ‘Die With Beer in Your Hand’, a faixa-título do mais recente trabalho ‘A Girl Called Cerveza’ e ‘Space Beer’.

Repertório do Tankard em Porto Alegre no show de 22/01/2013

Apesar de a temática da banda ter a cerveja como tema principal, ao que pareceu, em nenhum momento os integrantes apareceram bebendo durante a performance. Geremia, o barrigudinho faceiro, até despejou o diurético na plateia, virou copo da ‘mardita’ na cabeça, mas não consumiu o líquido precioso enquanto estava em ação. Lição de que é possível ser beberrão e profissional. 

Na manhã seguinte, ficou a ressaca e o desejo por mais shows verdadeiros como o do Tankard.

Resenha: Homero Pivotto Jr.

Fotos: Aline Jechow

Related posts

Leave a Comment

dezesseis − 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.